Santo Crucificado - Rapha

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Santo Crucificado - Rapha

Mensagem por Rapha em Ter Set 27, 2016 4:51 am

Carmen era uma devassa moça, vista pelos pais e pela sociedade como uma santa católica, bondosa, mocinha, aos padrões de uma verdadeira princesa, religiosa. Mas não era bem assim...
Poucos conheciam quem de fato era a jovem Carmen. De uma inteligência capaz de arquitetar grandes manobras para enganar qualquer um, a protagonista adorava se jogar no imundo mundo das drogas e da bebida, somados ao sexo gratuito e sem precedentes.
Sem medo de agir, Carmen podia seduzir qualquer um para conseguir o que quer. Ninfomania, essa era a religião de Carmen.
Raphael era um moço sensível, bom. Religioso, estava prestes a terminar de cumprir seu período de diácono para se tornar padre, seu grande sonho. Confuso, a complexa mente de Raphael era bagunçada, e o mesmo se perdia em seus próprios pensamentos, o que levava-o a tomar algumas atitudes que poderiam ser precipitadas ou exageradas de alguma forma.
Fraco, tinha medo. Medo da rejeição, medo da responsabilidade. Guardava uma bondade que estava prestes a ser corrompida, apesar de sua religiosidade. Fraqueza, essa é a religião de Raphael.
Violeta era a vilã de forte personalidade. Não aceitava viver em um mundo em que as coisas não giravam em seu entorno. Religiosa, mas não de boa forma. Usava sua crença católica para fazer discursos de ódio para minorias e outras religiões ou ataques pessoais.
Era maldosa, nojenta. Não gostava de quem estava no seu caminho, a atrapalhando. Eliminava as dificuldades, mesmo que fosse da pior forma. Podia se expor ao ridículo para conseguir o sucesso ou o fracasso de um rival. Seu ódio fala mais alto que qualquer coisa, tal sentimento representado em seus longos fios pretos de cabelo. Ódio, esta é a religião de Violeta.
Por fim, Jesus era o vilão. Jesus sempre foi repreendido pelos pais, que sempre o forçaram a seguir o catolicismo. Nunca gostou ou se sentiu feliz sendo católico. Transformou o desconforto em ódio.
Queria ser feliz, mas tentava alcançar a verdadeira felicidade da pior forma, através do ódio. Sua visão torta do mundo é uma das suas características mais fortes.
Era esquizofrenico, e quando a condição começou a ficar mais forte, ele começou a demonstrar através de ataques.
Na trama ambientada em Aparecida - SP, as famílias de Carmen e Rapha eram próximas, mt amigas. Carmen se sentia atraída por Raphael, mas nunca achou uma oportunidade pra se afastar da família e dar o bote. Jesus era próximo de Carmen, mas nunca a despertou interesse.
Em um encontro entre as duas famílias, ao final do jantar, Carmen chama Raphael para ver as estrelas, pois sabia que ele adorava admirar o céu. Eles começaram a conversar, tal conversa ficou cada vez mais íntima. Na hora em que Carmen estava pronta para atacar, a mãe de Raphael chega, e os obriga a fazerem a famosa despedida. Carmen beija Raphael na bochecha, e fala sensualmente em seu ouvido:
-Até algum momento...
Raphael se encanta pelo perfume forte de Carmen. Raphael não dorme, pensa constantemente em Carmen, em contrapartida, pensava no desejo de ser padre. Fica confuso, e tem uma crise existencial. Se olha no espelho, bate com a cabeça no mesmo várias vezes, e volta a tentar dormir, sem êxito.
Violeta, pela manhã, liga para Raphael, pois ele estava prestes a ir para a missa servir como diácono. Ela deseja boa sorte e bom dia de forma bem oferecida.
Na missa, Carmen estava presente, e encara pouco discreta para Raphael, que percebe e fica arrepiado durante as orações. Ao final, o velho padre Osório chama Rapha para uma conversa. Faltava apenas um mês para Raphael virar padre, e Osório passa o cargo na paróquia oficialmente para ele. O então sacerdote iria se aposentar.
Jesus saía da missa junto de Carmen, e conversava com a amiga na porta da igreja. Ele tentava avançar em Carmen, que recuava sempre. Jesus estava impaciente, e acabou tendo que se despedir quando seus pais chamaram.
Raphael sai da igreja, e Carmen vai em cima dele. Carmen leva a conversa para um rumo totalmente sensual, e chama Rapha para um encontro no final da tarde, para ~conversar~.
Violeta visita Raphael e fica cada vez mais sensual. Os dois se beijam, e quando Violeta começa a desabotoar a camisa de Rapha, ele recua. Ele e Violeta brigam feio, e Violeta sai enfesada da casa do amado.
Jesus pensa em Carmen, e começa a ficar nervoso, ansioso, chora. Enxerga Carmen no espelho de seu quarto, grita e joga um copo contra ele, com raiva. Os pais escutam tudo e correm para ver o que estava acontecendo, e ele os expulsa do quarto e chora em meio aos seus edredões, trancado no quarto. Seus pais ficam extremamente preocupados. Jesus se recusa a dar explicações extensas, e diz que estava apenas nervoso e excedeu os seus limites.
Carmen e Raphael se encontram, e Raphael estava pronto para não cair na sedução da protagonista. Ficam horas conversando. A conversa ficava cada vez mais quente e profunda. Carmen estava prestes a o arrancar um beijo, mas naquela hora, 21h, Raphael inventa que tem compromisso na igreja no dia seguinte e acaba indo embora.
Violeta, no dia seguinte vai pedir perdão pretensiosamente para Raphael, que a rejeita.Violeta acaba se ajoelhando para ele, que lembra dos ideais cristãos e a perdoa.
Jesus aquiteta um plano para seduzir Carmen. Violeta sofre pensando em Raphael. Ela julga com a violência verbal um casal gay se beijando na rua depois. Usa a religião como justificativa.
Jesus pede a Carmen para os dois se encontrarem para curtir. Carmen decide tirar ele da tal caretísse, e o arrasta para o paraíso das drogas e bebida, facilitando o plano dele.
Carmen vai beber cachaça, e Jesus coloca droga na bebida dela, a deixando quase incosciente, manipulável. Ele então parte para cima dela, aproveitando-se do estado decadente de Carmen. Os dois transam bem fortemente, enquanto Carmen é manipulada por Jesus.
Raphael e Violeta conversam.
Jesus acorda no motel com Carmen, vitorioso. Carmen acaba acordando também, e logo se revolta com o então amigo. Ela bate nele, se veste rapidamente e sai furiosa do lugar. Jesus se revolta, e quase tem um ataque de novo, mas se esforça para controlar.
Carmen arquiteta planos para fisgar Raphael, enquanto Violeta faz o mesmo.
Carmen e Violeta se esbarram na rua. Carmen suja Violeta com refrigerante, após sair de uma lanchonete. Violeta estava estre as duas. Violeta sai brava do embate. Pega o ônibus, e sai ainda com raiva. Não presta atenção e quase é atropelada, mas é salva por Jesus. Ela, após o susto, acaba agradecendo e os dois acabam tomando um café para se recuperarem. Os dois se tornam amigos.
Raphael pensa sobre o seu futuro como padre, mas lembra do seu envolvimento com Violeta e pensa em Carmen. Toma chá para relaxar.
Violeta vai visitar Raphael, com uma langerie por debaixo da roupa. A conversa se prolonga, Raphael se deixa seduzir pelo assunto hipinotizante, e num piscar de olhos, os dois estavam agarrados no sofá. Eles fazem sexo. Violeta acorda com Rapha no sofá. Enquanto ele dormia, ela admirava o amado dormindo, e o beijava. Era como um sonho maravilhoso para a vilã dos cabelos negros como as trevas.
Ela sonhava, mas Raphael acordou, e para ele, aquilo era um pesadelo caótico, pois estava a pouco de se tornar padre e viver em celibato. Os dois acabam em guerra verbal, e Violeta é expulsa de casa. Jesus corre atrás de Carmen. Carmen estapeia Jesus, pois não aceitou ter sido manipulada. Jesus e ela brigam feio. Jesus grita consigo mesmo, Carmen se assusta. Jesus vai agredir Carmen, que se esquiva e foge. Jesus estava largado gritando no meio da rua. Ele começa a rasgar a sua própria camisa. Carmen se desespera e vê o celular de Jesus cair do seu bolço. Ela pega o celular correndo, e liga para os pais do vilão. O ataque do vilão piorava gradativamente, e as pessoas se assustavam cada vez mais. Até que os pais dele chegam. Eles choram vendo o filho naquele estado, o colocam no carro, chegam em casa e o trancam no quarto. Após, discutem sobre o que fazer e o que seria aquilo. Chegam a conclusão de que seria algo paranormal, como um demônio. Jesus chorava muito em seu quarto, e a persona caótica que o tomou conta se desmancha em lágrimas em frente ao espelho que Jesus quebrara anteriormente.
Os pais de Jesus ligam para Carmen e agradecem pelo chamado. Carmen demonstra algum lado humano e se preocupa com a conclusão dos pais dele. Acha precipitada a solução paranormal, e sente o sofrimento de Jesus.
Carmen vai visitar Raphael, intrigada com o assunto. Aproveita para tentar seduzir o futuro padre. Os dois conversam sobre o assunto, Raphael também se intriga e pensa se esse apelo divino é realmente necessário e veridico. Pinta um clima, e Raphael vai para o banheiro e lá pensa, reflete e sofre por Carmen. Violeta liga para o celular de Raphael enquanto isso. Carmen atende, reconhece a mulher com qual teve um conflito corriqueiro na rua e a voz. Violeta fala tudo atropeladamente e se declara, achando que falava com Raphael. Carmen descobre uma adversária naquele momento. Carmen atende e logo alfineta:
-Sabe suas chances com o Raphael? Tão na puta que pariu, garota!
Violeta se estressa, e reconhece a voz:
-Quem é que tá falando?
-A dona dos seus próximos pesadelos!
-Espera, nós já conversamos alguma vez?
-Claro, na rua, o refrigerante, a gritaria. Lembra agora?
-Lembro perfeitamente. Para de palhaçada e passa esse celular pro Raphael! Anda, eu estou mandando! - diz a vilã.
-E quem é você pra mandar em alguma merda? Mesmo que o Rapha estivesse aqui, nunca iria passar o telefone para ele. Acho que podemos ter uma ótima conversa, haha... - alega Carmen.
-Pois é, não tenho vontade nenhuma de conversar com você.. é...
-Carmen Aparecida dos Santos.
-Carmen! Pois meu nome é Violeta. Respeite esse nome mais que qualquer coisa abaixo de Deus, menina! Presta atenção nas tuas falas, pois quando quero promover uma volta por cima, faço com vontade. Poderá se arrepender bastante...
-Não tenho medo de nada!
-Pois vai ter. Esse medo sou eu! Violeta Campana Ferreira, decore estes caracteres, para não se fazer de sonsa nas piores horas!
-Tá achando que é quem?
-Eu mesma!
-Pois é. Quando se tornar alguém relevante nós podemos conversar melhor! - diz Carmen.
-Eu sou irrelevante para você?
-Claro que é garota! Ameaça tanto, quero ver fazer!
-Vou tatuar essas suas falas na minha testa! Quando você estiver na sarjeta, esmagada, em ruínas, vou adorar ler e reler estas alegações todas! Adoro me divertir, rir um pouco...
Raphael chega na sala.
-OLHA AQUI!!... Ah tá, tchau amor, beijos! Ah, você está aí? - diz Carmen, falsa. Ela desliga.
-Pois aqui estou, agora. - diz Rapha
-Hm... Era uma moça te ligando, e eu disse para ligar outra hora pois você estava no banheiro! E tú entrou logo na hora que eu desliguei!
Ela desconversa, e a sedução volta ao ambiente.
Com o decorrer da conversa, os dois se aproximam aos poucos. Quando seus lábios iam se encostar, quando Raphael abre os olhos, se assusta e, impulsivamente, dá um tapão em Carmen.
-DESCULPA! PELO AMOR DE DEUS! Desculpa, foi mais forte que eu!
Carmen o encara com raiva. Ele explica sua situação como quase celibatário, e Carmen acaba entregando suas reais intenções. Após uma discussão, Carmen se despede dizendo:
-Pode tentar fugir. Não conseguirá, pois eu, Carmen Aparecida, tomarei conta dos seus sonhos, dos seus pesadelos, dos seus pensamentos, do seu consciente! Espere...
Diz de forma muito sensual e vai embora.
Violeta entra em fúria e puxa o seu cabelo em ato de raiva, e jura que irá passar por cima de Carmen, nem que precise a esmagar.
Os pais de Jesus o levam para uma igreja em que se pratica o exorcismo. Ele entra em desespero ao saber o porque dessa ida. Ele é levado a força para o local reservado em que seria realizado. Seus pais ficam atrás da porta para acompanhar o ritual. O padre levanta uma cruz sobre Jesus, o coloca em uma cadeira, põe a mão em sua cabeça e dita palavras de opressão ao ~diabo~. Jesus começa a chorar em desespero, e briga com o padre, que o confunde com o próprio demônio. O padre sacode Jesus com a cruz levantada, o enfurecendo. Após muita gritaria e berros de desespero de Jesus, que assustavam os seus pais Antonio e Rita. No auge da cena, o padre encerra o ritual acertando a cruz na cabeça do vilão, que sai correndo sem direção. Ele sai da sala e todos vão atrás. Ele, ainda muito tonto, corre para fora da igreja, se distrai e é atropelado. O acidente não foi tão grave, só gerou fortes hematomas, nada comprometedor demais. Ao retornar para casa, toda a família vê o caso de Jesus desde o surto no meio da rua até o atropelamento no Jornal.
Abre-se um debate nacional, principalmente na cidade de Aparecida, sobre o caso dele, traçando-se um grande duelo entre as teses religiosas e as teses científicas e psicológicas.
Carmen se choca com o caso na televisão, e Violeta decide entrar no debate e publica um texto polêmico e odioso na internet. Ela usa as teses religiosas e faz referências ao demônio, e faz ataques para os que optam pela ciência e a psicologia. Defende a morte de todos que possuem o demônio em seu corpo. Como ela tinha bastantes seguidores na internet, o texto circula pelas redes, tendo conservadores a favor e liberais contra. Rapha rebate o texto com ideais humanitários, promovendo uma ideia melhor de compreensão e estudo do caso. Defende algo menos conservador sem se desconectar do catolicismo. Logo, toda a trama está presente no caso de Jesus. Jesus se revolta com os ataques de Violeta, que vinha sendo sua nova amiga, e não aceita a falsidade dela.
A data da transformação de Rapha em padre estava muito próxima. Há uma semana de tal, começa a se organizar a comemoração espiritual e a festa.
Carmen e Violeta ficam sabendo da festa e se programam para marcar presença, assinando uma noite que pegará muito fogo.
Jesus estava abatido e perdido no meio de todo o debate sobre o seu caso. Algumas pessoas na rua se afastavam dele com medo, outras sentiam muita pena. Jesus chora no banco de uma praça quase que colada na Catedral de N. S. de Aparecida.
Chega o grande dia. O nervosismo dominava Raphael, como se fosse um casamento.
Carmen reconhece Violeta, e escolhe sentar-se atrás da nova rival, e sussurra em seu ouvido.
-Estou aqui, querida. Carmen Aparecida dos Santos.
Violeta vira-se, e a encara, amarga. As famílias estavam aos seus lados.
Raphael se emociona, feliz, contente. O padre da igreja faz o discurso em homenagem a ele, e fala sobre a aposentadoria.
Durante o discurso Raphael localiza Violeta e Carmen, e fica nervoso. Carmen começa a o encarar sensualmente, ele fica possuído pelo seu olhar quente. Violeta sorri para ele, tudo para o confundir ainda mais. Ao fim da cerimônia, a festa começa no espaço em frente a paróquia.
Violeta e Carmen se alfinetam constantemente. Violeta excede seus níveis e, no meio do tapete vermelho da igreja, elas brigam com unhas e dentes.
A gritaria chama a atenção de todos, e as rivais partem para a porrada. Elas puxam cabelo, e Carmen rasga o vestido roxo dark de Violeta. Violeta se vê, e vai para cima de Carmen, e rasga o vestido o vestido dela. As duas estavam quase seminuas no meio da igreja, no chão, brigando. O antigo padre e Raphael as separam. A briga acaba, as duas familias morreram de vergonha e retiraram as filhas da festa imediatamente. Ambas levam um esporro muito feio em casa.
Jesus vai procurar Carmen, que o consola sobre tudo que acontece em sua vida. Há empatia e química entre os dois, mas Carmen não perde o foco em Raphael. Pensando nele, ela dexa escapulir seu interesse nele, apesar do celibato já assumido dele. Isso deixa Jesus intrigado e chateado. Eles se despedem, e Jesus tem seu sofrimento particular. Ele começa a sonhar com o mundo que ele realmente quer para ele. Está longe de um mundo cheio de maldades que o favorecessem, como o típico sonho vilanesco. É um mundo bondoso de paz e humanidade, o que expõe todas as razões por trás de sua amargura.
Jesus é chamado pelos pais, que falam de exorcismo novamente. Ele os ataca, e acaba em uma cadeira, amarrado e amordaçado.
Carmen persegue Raphael, quer forçar a barra para conseguir fisgar.
Ela liga, grita ele na frente de casa. Louca.
Violeta invade a casa de Raphael. Totalmente surtada, ela o fere fortemente, joga no sofá, e o beija intensamente. Ela o deixa inconsciente. Assim, ela abusa sexualmente dele, fazendo até sexo oral nele. Ele acorda assustado. A expulsa de casa. Vai dormir cedo no dia antes da missa, pensa em Carmen e Violeta. Ao dormir, sonha com Carmen Aparecida. Ele estava em um vazio, iluminado por uma lâmpada. Ele olha para um espelho, e nele estava Carmen, super sensual o chamando. Eles se beijam através do espelho. Carmen o puxa para o espelho. No momento em que a coisa ia ficar um pouco mais densa, ele acorda com o celular dele tocando. Era Carmen, pronta para infernizar e causar alvoroço em sua mente.
Carmen visita Jesus, e dá de cara com ele preso depois de conversar com os pais dele e escutar um barulho. Ela o liberta, logo a beija impulsivamente. Ela se afasta, não diz nada, e vai embora. Ele lembra de Raphael, entra em surto e vai embora correndo para a missa do Pe. Rapha. Ele rouba um galão de gasolina no posto, invade a igreja e ameaça pôr fogo em tudo. Queima um altar, o que gera um choque e grande repecurssão.
A repecurssão gera um plot twist. Um grande psicólogo publica uma matéria em sua coluna no Jornal de Aparecida falando de Jesus, supondo e afirmando que ele tem esquizofrenia. A família dele não aceita, e diz que a esquizofrenia é uma justificativa da ciência para a presença de demonios na Terra. Eles tentam prender Jesus em cativeiro, mas ele foge.
Carmen sonha que Rapha e ela transavam no paraíso. Ela acorda determinada a arrancar seu amado desse celibato. Ao final de uma missa noturna, Raphael estava só naquela igreja fria e escura. Apenas algumas luminárias e uma luz forte voltada ao altar estava acesa. Ele varria o altar, quando entra Carmen bem discretamente pelos portões meio abertos da igreja. Ela caminha até os degraus do altar, surpreende Raphael, que ainda estava com sua roupa de padre. Ela, com um vestido texturizado em rendas.
Carmen: Oi, sou eu: a dona dos seus melhores sonhos...
Raphael: Carmen, pelo amor de Deus, se retire. Eu não quero usar a força...
Carmen: Ai, não precisa disso. Relaxa um pouco, descansa a mente... Ou deixa que eu te relaxo, entende?
Raphael: Eu não preciso entender nada. Preciso que saia daqui!
Carmen: se for me tirar daqui, quem usará a força sou eu! Eu tenho força o suficiente para entrar em seu pensamento e o pôr em estado meditativo. Duvida?
Raphael se irrita: Carmen, para de falar merda e vai embora!
Carmen: E quem pode me impedir? Você?
Raphael: Deus.
Carmen: ah é, Deus! Mas Deus só está aqui em imagem. Se ele quiser me julgar pelo o que pretendo fazer, que julgue! Desde que o Senhor não atrapalhe o nosso momento...
Ela se aproxima dele sensualmente, e começa a tirar os botões de sua roupa. Ele se seduz e tenta resistir.
Carmen: Não tenta ser mais forte que eu! Você sabe que não capaz. Você, Raphael, não é mais forte que Carmen Aparecida...
Raphael: Não, eu não posso... - diz, seduzido.
Carmen: não deve, mas pode... Claro que pode meu bem!!!
Ela parte para cima dele e eles se beijam. Ela o coloca sentado na mesa do padre, tira a sua roupa. Ele a puxa por trás de sua nuca. Se beijam novamente. Ele se entrega totalmente ao momento.
Os dois caem, e rolam no chão, embaixo de um holofote da igreja. A mão de Raphael deslizava pelo corpo de Carmen, que tinha sua mão sendo deslizada pelo rosto do amado de forma bem quente. Ela promete fazer uma surpresa. Raphael a espera sentado e seminu no tapete principal em destaque no altar. Ela retorna seminua e coberta pelo manto de Nossa Senhora de Aparecida. Raphael se encanta com a surpresa de Carmen e caminha em sua direção. A puxa pelo manto.
Violeta sai do carro e vai até a porta da igreja, acaba observando a cena da porta do lugar. Entra em choque.
Os dois, um de frente para o outro no altar iluminados. Ela vestida de Santa, larga o manto e o contorna sensualmente. Ela pega a cueca dele, e a desce lentamente até o chão. Abaixada, ela sobe deslizando as mãos dela lateralmente pelo corpo dele. Raphael pega o seu sutiã e arranca, enquanto Carmen tira a calcinha. Eles caem no chão em cima do manto, e transam alí. Violeta entra na igreja, senta-se e assiste com muito desprezo e chorando, aquela cena. Os dois trocam carícias sensuais por um bom tempo, quando Carmen pega o manto pela ponta, e cobre os dois inteiros. Os dois dormem. O Sol começava a nascer e Violeta não dormiu ainda pensando e refletindo com rancor sobre tudo o que viu.
Ela sobe no altar, observa de perto os dois adormecidos juntos no chão. Senta bem o lado de Carmen, e a olha com desprezo, começa a enlouquecer, o ódio estava em seu olhar. Ela começa a acariciar o cabelo de Carmen, e começa a soltar versos da música Carmen - Lana del Rey: the boys, the girls, they all like Carmen... Seus versos cantarolados ecoavam tenebrosa e sombriamente por todos os cantos mal iluminados daquela igreja que se encontrava tão medonha e escura. Quando pronuncia ~Carmen~ no final do verso, seu tom de voz engrossa e ela começa a puxar fortemente o cabelo da rival. Puxa com força. Carmen acorda com desespero e mete um tapa em Violeta. Ela continua a puxar os cabelos de Carmen, que espanca Violeta, e a joga para fora do altar. Levanta, e começa o embate verbal entre as duas.
Carmen: Você é doente?
Violeta: Você é a minha doença, você está acabando com a minha vida!
Carmen: Tú tá louca, tú não é normal! Eu não fiz nada pra você!
Violeta: FEZ SIM! - começa a chorar - Claro que fez! Fez isso...
Carmen: e tú viu? Está aí desde quando?
Violeta: Acho que desde quando começou a decadência, começou a putaria...
Carmen: É psicopata, você?
Raphael acorda com a gritaria: O que está acontecendo? Violeta?
Violeta: eu mesma! Não acredito que você foi capaz de me trocar assim...
Raphael: eu não troquei você por ninguém!
Carmen: Cala a boca, garota! Você não sabe nem o que tá falando! Vai pro hospício, eu hein...
Violeta: Vai à merda, pois o diálogo agora aqui é entre eu e Raphael!
Raphael: não tem diálogo nenhum não! Peço que se retire pois se eu fiz alguma coisa aqui, eu não devia ter feito e não farei mais, e, e... Meu Deus... O que que eu fiz? - se desespera.
Carmen: Transformou seus sonhos em realidade, amor!
Violeta: pesadelos né!?
Raphael: Eu não acredito no que eu fiz... Deus que me perdoe, eu não podia ter deixado isso acontecer!
Violeta: não interessa o que aconteceu ou o que deixou de acontecer, só vem! Eu estou aqui para você!
Carmen: É escrota, é decadente mesmo não é? Olha até aonde se rebaixa pra correr atrás de homem...
Violeta: FILHA DA PUTA, CALA A BOCA!
Carmen: se estressou, linda? Que pena, sinto nojo de você...
Raphael: por favor parem...
Violeta: não paro até dar na cara dessa filha da puta, desgraçada...
Violeta dá um tapa em Carmen, que revida. As duas brigam em cima do altar. Carmen domina a briga e arranha a cara de Violeta com as suas unhas. Violeta a empurra. Raphael entra no meio e as expulsa da igreja.
Raphael: PAREM! Apenas parem... Nem eu e nem a igreja merecemos isso... - chora - Não... Por favor, saiam...
Carmen: Mas e eu?
Raphael: devo esquecer... Por favor me deixa em paz... Saiam...
Carmen se veste, Violeta sai na frente a olhando com ódio e totalmente abatida.
Carmen sussurra para Raphael: você pode não querer, mas eu volto...
Ela vai embora, e Raphael sofre sozinho sentado na beira do altar.
Enquanto isso, Jesus estava pronto para se vingar de seus próprios pais. Ele lembra de todo o mal, enlouquece, rouba uma moto e invade a casa com a moto. Ninguém se fere gravemente. Eles espancam Jesus. Raphael dá um ultimato em Violeta. mas não resiste a Carmen, e vive uma quebra de celibato escondido com ela ao procurá-la mais tarde.
Falando em Carmen, ela fica sabendo de tudo e vai apoiar Jesus na prisão, comovida com o seu caso de esquizofrenia. Jesus é preso por tudo que fez nos seus ataques. A fiança era caríssima. Começa uam campanha na internet pela maior compreensão e atenção tanto dos pais quanto da Justiça sobre o caso de esquizofrenia dele.
Algumas instituições relacionadas a inclusão e psicologia pagam a fiança dele depois de dias.
Carmen e Jesus se aproximam, e os pais dele cortam esses laços ao internarem o filho em uma clinica. Violeta chega invadindo na casa de Raphael, com um revólver, e se instala. Ela força ele a agir como se eles fossem casados, pois não aceita o celibato nem Carmen e ele tendo caso. Ela se torna submissa, e anda pela casa apontando o revólver para ele, insegura.
Violeta estava cada vez mais louca, se subordinando ao amado. Carmen ligava constantemente para Raphael, quando ia para a casa dele, ninguém a atendia, pois Violeta impedia que o dono da casa o fizesse.
Carmen briga com os pais de Jesus, que foge do hospício. Carmen ajudou a esconder Jesus de tudo. Algumas brigas com Carmen vão tocando o psicológico dos pais de Jesus, que vão reconhecendo que sofrem por Jesus, mas se negam a assumir que estão morrendo de sofrimento por ele. Carmen fica confusa entre Raphael e Jesus, mas o prazer que ela sente por Rapha ia vencendo o romantismo do segundo. Pois Jesus e Carmen já haviam perdido a resistência um ao outro, e já caíram aos beijos algumas vezes, e transaram uma. Mas Carmen buscava fugir daquilo.
Ao buscar Violeta, não a encontra. Liga as peças e retoma a persona perigosa que sempre foi Carmen. Planeja seu plano peça por peça.
Raphael pensa em Carmen.
A família de Jesus tem alguma redenção, e tentam aprender a lidar com o filho.
Antonio e Rita, pais do vilão humano, insistiram que Carmen casasse com Jesus. Ela estava ajudando muito ele.
Jesus começa a se tratar, e sua família apresenta a ideia de um casamento com Carmen, que é muito bem recebida por ele. Carmen se encontrava indecisa entre o romance com Jesus e o caso selvagem e errado com Raphael.
Ela é pedida, e promete uma resposta. A família fica em cima dela, assombram a mente da antiheroína para ela aceitar. Impulsivamente, aceita o pedido, mas segue ainda com alguma confusão.
Raphael tenta fugir de casa, mas Violeta o dá um tiro que o pega de raspão. Ela faz questão de deixar ele sofrendo alí, com o ferimento, para ele aprender a obedecer as regras dela. Ele cuida do próprio hematoma.
Carmen e Jesus fazem uma pequena festa familiar de noivado. Raphael é dado como desaparecido, e Carmen entra em desespero.  Violeta transa com Raphael às forças, o acorrenta na cama e sai de casa.
Violeta entra na casa de Carmen, e há um embate épico entre as duas. Jesus chega no momento em que Carmen ia tomar um tiro, e surta. Empurra Violeta. Carmen a pega pelo cabelo e puxa até a rua, onde começar uma real perseguição.
Violeta consegue escapar do terror de Carmen. Carmen começa a ver o seu vestido de noiva. Experimenta, se sente poderosa porém receiosa com o vestido. Raphael começa a sofrer de sede, fome e maus tratos com Violeta, e usa a força bruta com ela. Pega Violeta pelo pescoço, ela fica sem ar em machucada. Chorando, ela tem o revólver tomado e é posta para fora. Ela se enfurece, não aceita. Em casa ela se olha no espelho, começa a chorar, puxa seus cabelos pela raiz da frente e é cada vez mais forte. Acaba arrancando muitos fios, e quebra tudo em seu quarto.
Raphael reaparece na igreja. Jesus procura ele para promover uma reconciliação. Raphael, como padre e servidor de Deus, já tinha errado o bastante e acreditou no perdão. Os dois se abraçam, e a data do casamento é marcada.
Kaio Ferreira
Carmen vai para a moradia de Raphael, e os dois matam a saudade um do outro. Raphael vê o revólver de Violeta exposto em casa e esconde para ninguém ver, dentro de um vaso de planta. Eles transam intensamente. Dormem juntos. Violeta paga um bandido para ajudá-la a pular o muro deles. Os dois dormiam, ela sobe silenciosamente. Ela dá o flagra nos dois juntos e tira foto deles dormindo abraçados. Vai sair mas tem um mal jeito e quebra o salto, cai e faz barulho. Os dois acordam assustados. A tensão estava no ar e começa um embate entre os 3. Ela faz diversas ameaças, entre elas destruir a vida de Raphael e acabar com Carmen. Carmen rebate, e o embate fica entre elas duas. Raphael se afasta um pouco.
-Medíocre, doente, sonsa, piranha! É ISSO QUE A SENHORA CARMEN APARECIDA É!!! Quando eu disse que iria dar a volta por cima, não estava brincando. E quando estiver sozinha, na rua, sofrendo, tudo que eu mais quero fazer é pisar em você, como se eu esmagasse uma barata. Você vai ver!! - diz Violeta.
-Não vai fazer porra nenhuma, não! - diz Raphael.
Raphael imediatamente dá um tiro em Violeta, que pega na cabeça.
Carmen limpa a arma com álcool para tirar as digitais dele, e arma a cena usando luvas. Tudo estava armado como se fosse um caso de suicídio. Eles declaram que ela foi dar declarações de ódio para Raphael, que não aceitava quebrar seu celibato, e se suicidou em seguida. A sós, Raphael e Carmen trocam olhares sensuais e se beijam.
Em um instante, cortamos para a cena do casamento de Jesus e Carmen. Raphael faz a cerimônia. Ao final da cerimônia, quando eles trocam declarações e as alianças, Carmen recita tudo de forma muito irônica, e encara sensualmente Raphael, insinuando o caso persistente entre os dois. Ao sair, Raphael admira Carmen sensual saindo da igreja. Ao andar pelo extenso tapete da igreja, Carmen estava poderosa, cheia de glamour e sensualidade. Era a noiva mais sensual que você poderia ver. Ela e Jesus saem, Carmen é falsa quando Jesus se declara para ela no carro. Os dois se beijam, e a trama termina com Carmen demonstrando falsidade no olhar.

Rapha

Mensagens : 15
Data de inscrição : 05/02/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum