ESTRANHO - Rapha

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

ESTRANHO - Rapha

Mensagem por Rapha em Sex Dez 02, 2016 2:32 am

O casarão da família de Raphael foi bagunçada após a decisão de João Alberto em levar o irmão para sair, curtir, festejar etc. Nem Felipe aceitou a ideia, tentou reprimí-la pois não achava Rapha pronto para viver isso. Já Dara foi mais violenta ainda, surtou com a proposta e fez o casarão tremer com a sua fúria e aversão à mesma. Conclusão: João perdeu a batalha mas não perdeu a guerra.
No dia seguinte, ia sair para a balada. Seus pais, que dormiam cedo, já deitaram. João acordou Raphael e o levou consigo para a noite. Ao chegar lá, Raphael estranha o ambiente, mas aproveita por algum tempo, até atingir o seu limite. Sua sensibilidade auditiva e sua irritação com ambientes cheios acabou o tirando do sério. Correu, saiu de perto de Raphael e foi para o banheiro, onde tinha um pouco mais de paz. Chorou um pouco e voltou. João não vê mais Raphael e entra em desespero total.
Adele chega no baile e logo é chamada atenção por Raphael. Toma atitude e dá em cima dele, que a empurra e sai correndo. Ele começa a vagar pelas ruas. João sai e o procura após vasculhar o lugar todo. Ele chora no meio fio pelo sumiço do irmão. Ao voltar da festa, Adele dá de cara com Rapha nas ruas, e vai pedir satisfações sobre o ocorrido na balada, mas logo percebe algo estranho no garoto, e percebe suas limitações.
Tenta se comunicar com ele, até que simpatizam um com o outro, e meia hora depois, começa um clima. Raphael começa a falar sobre si com muito ludicismo, e quando vêem, estão em um motel próximo trocando carícias, um momento de liberdade, amores e prazer para Raphael.
Enquanto isso, Felipe se desespera com o sumiço de Rapha, mas Dara não se angustia tanto, pois se sente livrada de um peso mas o seu sentido materno contradiz tudo isto, provocando um embate interno.
Adele consegue descobrir onde mora Raphael decifrando algumas de suas falas. Sua família fica contente e convida ela, Lana e seus pais para um grande jantar. Lana percebe os luxos em que vivia a família e tenta partir para o ataque em cima de João. Adele prefere não contar sobre suas relações com Raphael, que a procura após o jantar e conversa com ela em sua varanda. Lana marca um encontro com João.
João e Lana transam dias depois, mas não demora para ele perceber o seu caráter e a abandonar. Raphael sente falta de Adele e grita por ela. O povo do casarão logo percebe algo entre os dois. Lana decide ir para cima de Rapha. As duas famílias se tornam amigas e marcam encontros com frequência. Nestes encontros, Lana tenta seduzir Rapha, e dias depois João flagra Adele beijando Raphael, assim como Lana, que não se contenta. João não faz nada mas tem certo medo de ver o Rapha em um relacionamento.
Lana já é mais agressiva, não aceita aquilo de jeito nenhum e decide ir contar para todos na sala. Porém João a impede no meio do caminho e os dois têm um embate tenso.
João: O que você ganha com isso? O que você quer?
Lana: João, eu só quero o bem do seu irmão! Não há como confiar na filha da puta da Adele, ela é uma vigarista, uma dissimulada! E...
João: Já pode parar por aí, pois eu já conheço o suficiente a Adele pra dizer que pelo menos ela é melhor que você.
Lana: Ah, meu amor, espera só! E ainda tem outra questão: acha mesmo que o seu irmão está pronto para um relacionamento? Não seja idiota, né? Ele tem vários direitos, pode vencer diversas barreiras mas duvido muito que ele vença esta por enquanto!
João faz silêncio.
Lana: pois é... – Lana se encaminha para a escada e João a segura pelo braço.
João: Ache o que quiser, mas pelo menos cala a boca, deixa o meu irmão se sentir feliz pelo menos um pouco...
Lana: Vamos ver por quanto tempo eu consigo abafar o caso...
João: Vadia, sem escrúpulos, infeliz...
Lana o dá um tapa, fecha a cara para ele e se retira.
João conversa com Adele sobre seu caso com Rapha, pede para ela ser cautelosa e cuidadosa com o irmão dele. Diz também para não contar principalmente para Dara. João estava em um embate interno. Tinha medo de Raphael em um relacionamento mas queria o ver feliz. Estava perdido. Sem saber o que fazer ou dizer, que atitudes tomar. Confuso.
Adele estava podendo contar com a ajuda de João para promover seus encontros com Raphael. Lana vai esfregar tudo o que sabe na cara da irmã, e as duas têm um embate:
Lana: Então decidiu se aproveitar do autista né? Deus tá vendo, Adelinha...
Adele: É o quê? Você sa...
Lana: Sim, querida, eu sei! Sei de tudo, claro que sei hahaha! Adoro como você é sonsa. Descobri do seu caso com o menino lá, o Raphael. Vai fazer o quê agora, basic bitch?
Adele: Nada, pois de fato é um amor e não preciso esconder nada, muito menos de você. E o que pretende fazer com essa informação, cobra?
Lana: Olha como você se dirige a mim! Bem, eu acho meio óbvio que você quer se aproveitar do menino né? Adele, eu sei que você finge que não, mas tá louca pra dar o golpe e se colocar na riqueza né, é vagabunda, safada, é bandida... !
Adele: CALA A BOCA! Cala a porra da boca, pois eu não sou você! Lembre-se...
Lana: verdade, eu sou muito melhor. Mais esperta, mais forte.
Adele: Ah, duvida de mim? Então vem cá que eu vou mostrar a minha força pra você sua escrota, vem cá!
As duas caem na porrada, Adele espanca Lana e prova sua força. Esse é ato inicial para Lana ir contar tudo para as duas famílias. Feito isso, Dara fica furiosa e Felipe fica intrigado e inseguro. Adele e Dara têm um embate pesado relacionado a ética e moral.
Dara: acha certo usar um adolescente autista e indefeso ter algum tipo de relação amorosa desse gênero? ACHA CERTO?
Adele: acho que é dever de qualquer ser-humano amar e ser amado. Acho que o Raphael merece experimentar novas situações boas, descobrir e viver novos amores, conhecer nossas pessoas. Ter uma vida que seja dele realmente, sabe?
Dara: isso não é moral, minha filha, acorda! Vai procurar outro alguém por aí! Com certeza vai achar algo melhor que o meu filho.
Adele: ouviu o que disse? Percebe que está tendo preconceito com o seu próprio filho?
Dara: Não é preconceito, é sensatez! Eu sou a mãe dele e sei delimitar o que ele deve ou não fazer! Eu tenho liberdade para isso!
Adele: A sua liberdade termina onde começa a liberdade do próximo, não acha?
Dara: MAS EU SOU A MÃE DELE!
Adele: Mas não é Deus. Aliás, eu tenho pena do Raphael, ninguém merece ter diversas limitações para vencer e ter uma mãe como você, não mesmo.
Dara: Não seja ridícula...
Adele: Acho que a sua noção de ridículo está meio errada, né? Eu penso que a partir do ponto em que uma mãe tem receio em ajudar o filho a ser feliz e ainda o julga incapaz, há alguma coisa de errado...
Dara: Mas... Mas...
Adele: É o que eu penso.
Dara: Não me interrompa. Posso falar?
Adele: Claro, mas não sou obrigada a te escutar. Fala aí, mas que fale sozinha! Com licença...
Adele retorna à sala de jantar em família e Dara vai atrás um pouco depois. Todos espantados, Lana com sensação de vitória e João a encarando rancorosamente. Raphael estava em seu quarto andando de um lado para o outro. Adele então decide ir até o quarto o buscar.
Adele confirma o relacionamento e o beija na frente de todos. Dara e Lana se frustram, e depois começam a armar contra o relacionamento dos dois. Dara decide fazer a cabeça de Felipe contra a união dos dois, e tem embates com João. Dara começa a prender Raphael e o impede de ver Adele.
Lana vai esfregar tudo na cara dela, mas Adele a esculacha, provocando uma reação catastrófica na vilã, que tenta a esfaquear, mas pega de raspão. Adele fica furiosa e vandaliza o seu quarto, rasga todo o seu dinheiro, tocando em seu ponto fraco. Lana, que era obcecada pelo dinheiro, que para ela era o hino do sucesso, estuda alguma forma de vingança.
George e Cida, pais de Lana e de Adele, conversam sobre seu caso com Raphael, e acabam citando o fato de George não ser o pai biológico de Adele, e Lana escuta. Lana enxerga a oportunidade da volta por cima sobre a irmã.
Adele busca Raphael em uma cena lúdica. Eles fogem escondidos, preocupando Dara e Felipe, que já tinha sua mente fraca feita pela esposa. João fica preocupado também, mas os seus pais decidem tomar alguma atitude contra Adele, e recorrem a Lana.
Adele se diverte com Raphael. Na casa de Adele, enquanto seus pais George e Cida saíam. Ela começa a o ensinar a escrever pelo menos o próprio nome com tinta e pincel. Ela o ajuda.
Adele escreve o seu nome em tinta roxa, e Raphael, com a ajuda dela, escreve o seu com tinta azul, e desenha um coração envolvendo os dois nomes. Eles sorriem um para o outro, e Adele cola a obra em sua parede. Raphael a pinta, e ela devolve. Eles brincam e quando veem já estão inteiramente pintados, e o chão todo sujo. Tiram a roupa um do outro e se beijam. Seus corpos juntos um do outro misturavam as tintas de seus corpos, formando uma grande obra de arte viva. Já estavam se relacionando sexualmente. Ela deslizava a mão em suas bochechas esverdeadas até seu pescoço azulado, e sua mão descia mais até seus quadris revestidos de vermelho, enquanto ele fazia mais descobertas. Descobria mais o corpo de sua amada, tocava e explorava cada detalhe de seu corpo como alguém que nunca havia vivido aquilo, o que era verdade.
Deslizava a mão nos peitos de Adele, que gemia sutilmente. Não era só uma relação, não era apenas um momento de prazer. Era uma obra de arte viva, uma obra-prima. Um quadro digno de um Museu do Louvre. Lindo.
Ao final, Lana chega em casa e flagra os dois juntos no chão. Prefere só observar a cena e esperar a hora certa de tombar a irmã.
Os dois trocam carícias durante um banho. Voltam ao casarão. Felipe, já corrompido por suas companhias, começou a se atrair por Lana. Dias depois, os dois acabam tendo um sexo muito quente e Lana vê a oportunidade de se aproveitar desse fato.
George e Cida se preocupam com a relação entre as duas irmãs. Dara decide convocar um encontro com os pais de Adele e Lana para discutir a relação entre Rapha e sua amada.
Lana também foi para a discussão, João interfere. Adele vai encontrar Raphael aproveitando a saída de seus pais, mas não esperava a bomba que estava por vir. Ela entra na casa atendida pelo empregado e dá de cara com a situação toda. Ela arruma barraco com todos alí e João tenta a segurar.
Lana aproveita a chance e solta a bomba nuclear: revela que Adele não é filha de George, e ela que era muito próxima do pai, acaba se sentindo muito abalada, e sai do casarão para sofrer pelas ruas. Lana ri demoniacamente. Lana sobe até o quarto de Raphael um pouco depois e assombra o garoto.
Lana: eu não sei se você entende o que eu digo, ou se consegue prestar atenção em alguma coisa mas só queria declarar que você é idiota, louco. Só um idiota consegue se sentir atraído pela basic bitch, a filha da puta da Adele. Francamente, eu tentei, tentei e tentei. Falhei, porque sua estupidez preferiu a macabra, aquela outra bizarra, nojenta. Entende o que eu to falando? Não né? Pois antes de qualquer coisa queria deixar claro o meu ódio por você, seu merdinha. EU NÃO ACEITO ISSO? O QUE VOCÊ VÊ NAQUELA VADIA, O QUE VOCÊ NÃO VIU EM MIM? EU SOU INCRÍVEL, SÓ VOCÊ QUE NÃO VÊ! Bom, eu tentei com você, mas não ache que eu te vi alguma coisa, apenas o dinheiro. Sabe o que é isso? Obviamente, também não, hahaha. O que resta para mim é rir da sua inocência e burrice em preferir a Adele, eu preciso rir disso...
Raphael a encara sombriamente como nunca antes, e quando ela começava a rir, a deu um murro que a fez voar longe.
Dara vai conversar com os pais de Adele e Lana na área externa, e Felipe briga com Raphael, e leva Lana para o quarto cuidar da marca, e começa a pintar um clima. Logo, eles começam a se beijar deitados na cama. Felipe pede para Lana vestir a langerie de Dara. Ela veste e o surpreende com a langerie preta ao som de National Anthem. Começa a sensualizar na frente dele, e escala o seu corpo. Logo eles se envolvem em uma fantasia sexual de dinheiro, e Lana sussurra em seu ouvido:
-Dinheiro é o hino do sucesso...
Os dois transam mais até ouvirem Dara entrando na casa, no andar de baixo. Lana rapidamente se veste e os dois saem juntos. Lana estava com cabelo bagunçado e roupas desajeitadas, e Dara estranha. Ela vai embora, e Dara sobe para descansar no quarto, e é aí que Felipe a tenta impedir, sem êxito.
Ela chega e vê a sua langerie na cama jogada, e estranha, mas logo associa as coisas e imagina Felipe e Lana transando no lugar. Ela se vira para Felipe e começa a chorar e fica aos prantos, mas logo parte para cima dele e rasga todas as suas roupas. Corre para o carro e vai atrás de Lana, até a sua casa, onde o barraco estava armado:
Dara: vem cá, sua biscate!!!
Ela apanha para Dara, até aparecerem George e Cida para separar a briga. O barraco rola solto na casa deles e Felipe decide ficar com Lana, o que deixa Dara sem chão.
Felipe passa a dormir no sofá do casarão até se separar de Dara e comprar um apartamento com Lana, e sustentar ela. Eles formaram um casal muito quente.
Adele a procura e a esculacha, joga na cara dela o quanto ela é biscate, golpista, aproveitadora, vai embora após quase a dar um tapa, pois não aguentava mais ser chamada de basic bitch.
Dara chega e põe fogo no apartamento deles enquanto eles dormiam. Após um alvoroço imenso, Lana descobre que a porta estava arrombada e que havia um isqueiro largado lá na cena. Logo, ela corre para o casarão de Dara e tira satisfação. A guerra declarou-se naquele momento.
Adele faz as pazes com os pais após brigar com eles devido ao segredo de sua paternidade, e vai tentar dialogar com Dara para viver com Raphael. Ela, desnaturada, parte para cima de Adele após ouvir seus argumentos e Raphael a impede. Ele surta e foge de casa com alguns trapos e, contra a vontade de todos, vai morar com Adele.
João apoia Adele e Raphael juntos. Dara o contesta, e João ameaça de a abandonar também. Dara começa a ficar sem dinheiro com a ausência de Felipe, e demite os empregados da casa.
Lana tem uma crise de rancor e tenta matar Raphael e Adele. George e Cida se espantam com a filha:
George: MAS O QUE ESTÁ ACONTECENDO!?
Raphael: Ela, ela é doida, ela! Ela quer matar a gente!
Cida: Oi? É o quê? Mas... como isso... ?
Adele: É isso mesmo, ela tentou atirar em nós dois!
Lana entra em desespero.
George: MAS QUE PORRA É ESSA, LANA? O QUE É ISSO? EU NÃO CRIEI UMA FILHA ASSASSINA!
Lana: Pai...
Cida: Lana, me diga como uma filha minha é capaz de uma coisa dessas... Eu não entendo... – chorando.
Lana: Não, não... – aos prantos.
Adele: Ela é uma nojenta, uma covarde, dissimulada, cobra, piranha...
Lana: CALA A BOCA, VAI QUEIMAR NO INFERNO SUA VADIA, BASIC BITCH, BIZARRA...
Cida: CHEGA! Chega... Eu já cansei... Não consigo mais escutar a sua voz, olhar para você do mesmo jeito...
Lana: Por favor mãe, me entenda...
Cida: Não, não quero entender mais nada, não... Eu entendia que entre vocês havia apenas uma briguinha entre irmãs. Estava errada. Não sei mais o que é ou pode ser, não quero saber...
Lana: PARA! Não me julgue pois a senhora e o senhor papai são os grandes culpados disso tudo isso aqui!
George: oi?
Lana: sim, você tem culpa, sim, George! Sabe como? Eu nunca tive o valor que eu mereço, a vadia básica sempre foi o centro. Desde sempre. A filha da puta sempre esfregou esse sorriso escroto na minha cara enquanto era sempre venerada. O QUE ELA TEM QUE EU NÃO TENHO! Beleza? Acho que não, eu sempre me achei melhor, MAS VOCÊS NÃO CANSAM DE NEGAR ISSO, mesmo que não explicitamente. Ela teve menos problemas na infância, mas precisava construir um pódio e colocar ela em primeiro lugar? Estaria eu na décima posição desse ranking? E quando eu tento ser feliz, cantar o hino do sucesso, ela DESTRÓI TUDO.
Cida: Filha...
Lana: Não, não quero ser mais sua filha, cansei... Se preferem essa daí, que não é nem totalmente legítima, tudo bem, não me importo mais com vocês!
George: É ASSIM? Bom, não ligo mais também. Uma filha louca, rancorosa. Não quero, não. Pode sair! Não precisa voltar.
Lana: Beijos pra vocês, bando de merdas!
George bate nela e a puxa pelos cabelos até a saída, e a lança na rua. Lana desaba ao ver a porta se fechando para ela, e fica sem chão para cair.
João chama Adele para conversar. Ela diz que Raphael está bem. Dara percebe a presença de Adele e a expulsa. Lana surge lá para tentar um novo assassinato, mas com Dara. A megera revida e joga Lana da escada. João sente nojo da mãe, leva Lana ao hospital e faz questão de sair de casa.
Lana teve feridas leves, apesar do susto. Dara agora vivia sozinha em um casarão enorme. Ela mesma destruiu a sua vida pelos seus atos.
Lana começa a enlouquecer e Felipe se assusta com as paranoias dela.
Raphael finalmente aprende a escrever e contar, e João se emociona ao saber. Raphael evolui ao lado de Adele.
Felipe contata Cida e George e recomenda que eles a internem. Dara, sozinha, enlouquece também. Lana e Dara, que sempre foram muito parecidas, tiveram o mesmo desfecho.
Lana é surpreendida por funcionários de uma clínica psiquiátrica quando ia para a casa dos pais se vingar, mas foge e Felipe vai atrás com os homens. Dara caça Adele para pegar o seu filho de volta, pois sentiu falta dele.
As duas chegam uma atrás da outra e o elenco principal todo estava reunido alí, pois Adele pediu ajuda para João. Enquanto o barraco rolou na sala, Dara conversa com Rapha no quarto:
Dara: E você? Não sei por que mas senti sua falta. Acho que você não é o que eu queria mas filho é filho né. Não sei aonde errei, também. Nem sei se errei, mas estou como estou. Acho que te amo, mas lidei com isso da forma errada. Não sei se você é defeituoso, ou qualquer coisa do tipo, mas não sei se deveria ter te julgado. Estou confusa demais, mas ainda me arrependo, talvez...
Rapha: Mãe, para, para... Não fala... Eu te amo, mãe. Não sei direito o que você fez, mãe, mas se a senhora está errada, eu ainda te amo. Posso ajudar a senhora?
Dara se emociona e se reconcilia com o filho autista que tanto julgou. Os dois choram e fazem um desenho deles juntos. Dara vai à sala para tirar satisfação com todos e é esculachada. A chamam de louca, de inconsequente, de megera, de descontrolada. Tudo isso veio muito à tona. Até que o sujo fala do mal lavado: Dara ataca Lana e as duas acabam aos tapas.
Lana corre para a cozinha e Dara vai atrás, a puxa pelo cabelo mas ainda há tempo para Lana sacar uma faca. As duas caem no chão e a faca penetra em Dara. João corre para cima da mãe e chora desesperadamente por ela, e xinga Lana até não aguentar mais.
Felipe estava lá, lamentando. Adele encarava Lana com muito nojo. Raphael chega na cena e se desespera ainda mais, chora em cima da mãe. Todo borrado de sangue, vai para cima de Lana, e fica com a cara roxa. Lana acaba por ser presa em vez de internada.
Lana vive de ser assediada e estrupada por um grupo de mulheres da cadeia. Cida e George sofrem, e George quase se mata pois não aceita que tem uma filha nesse nível de miséria humana, mas Adele o impede.
Rapha sofre muito em cima do caixão de sua mãe, Dara. O enterro termina.
Após todo o transtorno, se passam 2 meses e a família de Adele e Rapha tentam se recuperar de tudo o que aconteceu, esquecer tudo, mas Cida e George vivem com remorsos pois se sentem culpados pelo desfecho de Lana, mas não querem a visitar.
João acaba vivendo em relacionamentos novos e abertos. O desfecho mais feliz de tudo é quando Adele e Rapha se casam em uma linda e sensível cerimônia. Eles estavam mais conectados do que nunca no momento. Eles compram uma casa própria e abrem uma lanchonete de esquina para eles. Vivem realizados um com o outro.
FIM

Rapha

Mensagens : 15
Data de inscrição : 05/02/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum