HONEYMOON - Rapha

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

HONEYMOON - Rapha

Mensagem por Rapha em Sex Dez 23, 2016 5:07 am

A trama começa na cena em que Norma (Marjorie Estiano) entra na igreja para o seu casamento com Raphael (Bruno Gagliasso). Era uma das maiores igrejas da cidade do Rio de Janeiro, e ela andava pelo luxuoso tapete vermelho.
O ambiente estava lindo, Raphael estava feliz e sorridente observando sua noiva vindo em sua direção no altar.
Porém, Norma não estava nada contente. A sua tristeza era estampada no olhar, estava quase chorando. Norma se encontrava em um dilema interior, amava o seu marido, mas era totalmente submissa ao seu amante Lauro (Daniel de Oliveira), também presente na cerimônia, falso amigo de Raphael.
Norma estava tensa pela presença de seu amante, que a remetia a dor e sofrimento. Foi um momento difícil, que era para ser de felicidade. As demoradas falas do padre só bagunçavam a sua cabeça. Ela olhava discretamente para Lauro e tinha vontade de chorar. Dizer um simples “sim” era doloroso demais, pois ela gostava de Raphael um pouco, mas era totalmente entregue e submissa ao seu amante Lauro, e tinha medo do que ele pudesse fazer se ela aceitasse.
Ela aceita o casamento com dor, diz ~sim como um suspiro de medo. Na hora do beijo, um olho dela se voltava desesperadamente para Lauro. Todos exclamavam felicidade, menos a triste Norma e o caótico Lauro.
Após uma longa e sofrida cerimônia, todos se encaminham para uma casa de festa para comemorar. Mas a festa mais serviu para propagar intrigas.
Na hora da dança, o casal recém-casado era de contrastes. Raphael se encontrava alegre, sorridente, empolgado e amando Norma, enquanto esta estava fria, sombria, triste. Raphael estranha o semblante de Norma e fica realmente intrigado, e vai conversar com Lauro. Este, mais falso do que nunca, consola o amigo e diz que é apenas impressão dele, que é o jeito de Norma.
Norma nunca tinha desabafado para ninguém, e sempre temeu pela sua madrasta Cristina (Patrícia Pillar).
Norma tanta relaxar no banheiro, e chora dentro do box. Raphael ainda tem a pulga atrás da orelha, mas vai aproveitar a festa. Lauro e Alice se beijam e vão para o canto ficar, o que atiça Rômulo.
Lauro e Alice se divertem naquela noite. Norma sai do banheiro ao encontro de Raphael. Eles se beijam, e Lauro vê e sente ciúmes, uma certa possessividade.
Alice estava dançando, e Rômulo chega por trás. Alice se sente assediada e os dois discutem muito feio.
Cristina brindava a felicidade de Norma e Raphael com seu marido Ariel. Quando este vai ao banheiro, Vilma tenta puxar conversa com Cristina, mas esta desconversa arrogantemente e vai ao encontro de Estênio. Eles conversam sobre o encontro marcado no hotel Honeymoon, o mesmo da lua-de-mel de Norma e Raphael.
A conversa vai se tornando cada vez mais íntima e sensual, e eles acabam fazendo sexo no banheiro feminino. Eles faziam sexo selvagemente no ambiente nada convencional, suas mãos deslizavam pelos corpos um do outro, e Cristina seduzia Estênio com o seu intrigante e denso olhar.
Vilma diz para Ariel que Cristina foi ao banheiro, e os dois têm uma boa conversa e relembram seu passado juntos, se emocionam até o ponto em que tocam no caso que eles tiveram. Aí eles desconversam e Cristina chega como se nada tivesse acontecido.
Lauro vai à procura de Norma e a agarra violentamente no canto da festa. A leva para o terraço da festa e diz:
Lauro: você aceitou.
Norma: Aceitei sim. Não sei mas acho que fiz o certo para mim. O Raphael é um bom homem, acho ele digno. Deve me respeitar, me tratar como eu mereço, sabe?
Lauro: Mas você sabe que é minha!
Norma: Eu não sou de ninguém!
Lauro: É minha sim. Enquanto não tiver coragem e poder para me superar, acho que é minha.
Norma: Eu tenho coragem! Claro que tenho!
Lauro: ENTÃO FALA! Diz tudo o que quer me dizer e seja feliz, vamos ver no que vai dar!
Norma faz silêncio e chora, mas levanta a cabeça e o dá um tapa. Lauro reage e a espanca e a larga sozinha, e ordena que ela esconda qualquer marca ou evidência.
Ela estava jogada no terraço com o seu lindo vestido branco manchado no peito com sangue. Ela estava toda marcada e chorando desesperadamente. Sua dor era na alma, e o medo de bater de frente com Lauro apenas crescia. Norma tinha um lado masoquista, ela odiava toda a situação mas precisava daquilo, não sabia viver sem Lauro. Era um momento quase fúnebre.
Norma levanta e corre para o banheiro maquiar as poucas marcas expostas e limpar o excesso do sangue em seu vestido. Chega a esperada hora de jogar o buquê.
Norma precisa forçar um sorriso falso no rosto na frente de todo mundo, e isso a sufocava. Ela joga o buquê, e quem o recebe em suas mãos é Alice.
Ao fim da festa, Alice faz as pazes com Rômulo, e os dois decidem ir à praia deserta onde fica o hotel Honeymoon. Os recém-casados enfim vão para o mesmo hotel em lua-de-mel. Ariel e Cristina decidem tirar uma folga, mas Estênio vai junto escondido sob cobertura de Cristina, assim como Lauro vai sob cobertura de Norma. Vilma morava perto do hotel.
Norma e Raphael vivem o primeiro momento de plenitude da trama. Os dois fazem sexo na suíte. Com uma iluminação azul sobre a cama, Raphael tirava delicadamente as roupas de Norma, que fazia o mesmo nele. Rapha sentia o cheiro de Norma, que foi até o vaso e pegou algumas violetas, e lançava suas pétalas sobre o marido.
Era como algo místico. Norma tampa os olhos de Raphael com pétalas, e o ofereceu vinho, que escorria suavemente sobre o corpo do seu parceiro enquanto ele bebia. A sequência termina com um beijo intenso, e a luz da lua cheia entrando pela janela, com sua imagem refletida no espelho.
Enquanto isso, os jovens Alice e Rômulo conversavam. Rômulo resolve fazer algumas investidas mas Alice resolve ir para o mar de noite, com roupa e tudo. Rômulo também vai, e seduz Alice. Eles trocam olhares e se beijam em baixo dágua. Começam a trocar carícias submersos, sob o reflexo da luz da lua no mar. Eles rodopiam e giram no mar, até se encontrarem bem juntos, e o fascíneo um pelo outro era incrível, a química entre eles.
Após isso, os dois brincam na areia e acabam por dormir lá. Cristina e Ariel conversam sensualmente, mas Cristina prefere ir fumar maconha na varanda. Estênio estava no andar de baixo, e eles se encaram.
No dia seguinte Vilma e Ariel caminham na praia e se beijam, mas Vilma desconversa e vai embora. Lauro encontra Alice e Rômulo na praia, convida-os para entrarem no seu quarto. Alice vai ao banheiro e os dois têm um embate provocado pelos ciúmes de Rômulo. Quase que tudo termina em pancada, mas Alice chega e separa a briga.
Cristina oferece drogas para Ariel e Estênio, que aceitam. A cobra acaba provocando um sexo triplo entre eles, que não era triplo para Ariel, que enxergava Angélica em alucinação no meio. A suja e sombria cena envolvendo drogas e alucinações termina quando os 3 despertam e há um embate entre irmãos alí. Ariel se pergunta de Angélica, e Cristina estranha.
Cristina tinha a intenção de curtir essa pequena folga da melhor forma mas se arrependeu, e só aumentou a tensão familiar alí.
Raphael sai para andar e Lauro entra sem avisar na suíte dele e de Norma. Ele chega por trás dela, que tenta resistir mas acaba apanhando de novo. Era um lazer para Lauro. Norma estava triste de novo, mas sua tristeza ganhou uma cor mais escura, até originar o desejo de vingança. Sangue nos olhos e raiva predominantes.
Raphael encontra Norma acabada e destruída. Ela demora a entregar a situação, mas, com dificuldade, fala tudo, e Raphael absolve sua dor.
Passam vários filmes na mente de Norma, que sofre ainda mais relembrando as vezes que foi agredida e todo o mal que Lauro causou.
Rômulo pensa em Lauro e fica irritado. Vilma consola Norma.
Ao anoitecer, todos estavam para dormir. Ao amanhecer, o quarto de Lauro estava aberto, cheio de sangue e com uma faca no ambiente. A polícia criou a hipótese de um assassinato ocorrido alí, chocando a todos os personagens.
Enquanto a polícia investiga, Ariel arma contra Estênio.
Raphael insiste em continuar com a lua-de-mel, mesmo depois de todo o ocorrido. Porém, Norma não estava em condições de fingir uma falsa felicidade e continuar no hotel, e eles acabam tendo que voltar com muitas frustrações por parte de Rapha.
Estênio era apaixonado por carros e tinha vários, uma coleção. Ariel resolve pagar homens para pôr fogo na imensa garagem do irmão. Feito isso, Estênio entra em fúria.
Vilma tinha certeza do culpado do incêndio, e ficou decepcionada com Ariel, mas não o denuncia por insistência do mesmo. Cristina comemora o afastamento de Vilma.
Norma chega cansada de uma apresentação e defende Vilma para Cristina, que falava mal dela. Isto acaba por provocar um embate entre as duas, e Cristina diminui Norma, saindo por cima.
Após a longa discussão com a madrasta má, Norma sofre sozinha em seu quarto lembrando de Angélica, e olha para o alto pedindo para livrar ela de toda essa tristeza e de Cristina.
Todos os que estavam no hotel Honeymoon dão depoimento. Norma declara todos os males que Lauro a fez, mas declara-se incapaz de fazer qualquer coisa. O depoimento de Raphael é emocionado pela empatia que ele sentia pela esposa. Alice diz ter envolvimentos com Lauro mas não tinha motivo para fazer qualquer coisa contra ele.
O depoimento de Rômulo é intrigante. Ele estava claramente tenso e com raiva a cada vez que citava o nome de Lauro, mas declara não ter culpa. Ariel diz que parecia um bom genro, mas mudou de opinião quando foi revelado tudo que ele fez para Norma. Cristina diz que sempre o achou estranho, mais nada. Estênio dá um depoimento nulo.
Ariel se surpreende com a presença de Estênio no hotel, e levando em consideração o episódio da transa entre ele, o irmão e Cristina, ele tem certeza que algo estava acontecendo, e vai consultar Cristina, que desmente tudo. Ele, trouxa, acredita.
Rômulo e Alice conversam sobre Lauro, e a conversa desemboca em planos para o futuro, e Rômulo aproveita para investir, e toca no violão “How Big, How Blue, How Beautiful” de Florence + the Machine, música favorita de Alice, que era fã de Florence. Os dois se beijam e transam. Depois, Alice pensa na noite maravilhosa que teve durante a madrugada.
Iluminada sob a luz da lua, que só destacava o seu sorriso, ela lembra dos seus momentos felizes. Já de camisola, ela corre pelo corredor em direção ao quarto de sua avó Vilma, com quem era muito confidente e íntima.
Vilma: Ai Alice, quê que a senhorita quer? Já devia estar dormindo!
Alice: Vó, o Rômulo...
Vilma: O que foi o Rômulo? Aconteceu alguma coisa com ele no caminho de casa?
Alice: Não! A gente...
Vilma: Shhh... Não precisa explicar mais nada, eu já entendi o que quer dizer! ~diz com um sorriso se abrindo no rosto.
Alice: Ele tocou a minha música favorita e isso foi maravilhoso...
Vilma: Ah sei, aquela tal de Florença... Floren... Florence né?
Alice: Sim, e a gente se relacionou depois, e foi incrível!
Vilma: Que bom, minha neta... Tá apaixonada?
Alice: Ainda não sei, não posso lhe dar esta resposta... Eu prefiro esperar, ver como as coisas vão se desenrolar, se algo mais vai acontecer depois disso... Vamos ver como tudo evolui, depois eu te respondo...
Vilma: Está certíssima, bastante... Agora vai dormir, que não era nem para ainda estar acordada essa hora, vai...
Alice: Eu vou sim, benção vó!
Vilma: Benção... hahaha.
Alice volta para o seu quarto e dorme. Norma acorda e o clima na mansão da família Veríssimo é tenso após a longa discussão de Norma e Cristina, e do incêndio na garagem de Estênio.
Norma e Cristina trocavam farpas, assim como Ariel e Estênio, e a mesa se tornava em um grande tiroteio. Norma não aguenta mais a tensão e sai enfurecida. Raphael a consola, e quando ele sai, Cristina vai pro embate de novo, mas Norma esquiva e vai para o quarto decidida que precisa sair de casa.
Porém, Ariel rejeita essa ideia pois sempre carregou o conceito de que uma família precisa se manter unida para estar plena. É algo tradicional que sempre esteve entre os Veríssimo, mas nunca funcionou, pois falta muita plenitude dentro desta família.
Norma diz que ele precisa colocar Cristina no eixo, ou ela vai embora. Ariel e Cristina acabam entrando em conflito por isso, e Ariel se enfurece e vai procurar Vilma para se acalmar.
Norma vê uma moça de costas parecida com Angélica, e fica intrigada. Estênio e Cristina transam, e ao final têm um breve diálogo:
Estênio: Cristina, Cristina... Você não cansa, não é mesmo? Não cansa de estar errada, de ser imoral...
Cristina: Só eu, né? Você é santíssimo, se eu estou errada, o senhor está no mesmo buraco que eu, Estênio... E, sim, eu devo estar muito errada. Afinal sou casada, mas estamos aqui né, fazer o que...
Estênio: E você insiste no erro... Eu devo ser incrível para você insistir nesse caso imoral...
Cristina: Não, eu me acho melhor.
Estênio: Admita, está aqui por mim!
Cristina: Não, eu só estou aqui pelo sexo... ~diz cinicamente
Cristina vai se vestir. Norma chega na mansão, e acaba vendo Cristina e Estênio se vestindo pela porta meio-aberta. Ela usa isso para se empoderar no próximo embate.
Rômulo e Alice se encontram novamente e vão para uma casa de festa. Rômulo termina bêbado e Alice o leva para casa, mas ele estava violento e começou a falar no Lauro, e discute com Alice. No dia seguinte, eles se conciliam, mas ela ainda fica um pouco chateada.
As investigações policias não dão em nada. A faca da cena do crime estava sem digitais, provavelmente luvas foram usadas.
Cristina fala sobre a organização de seu aniversário de 65 anos e tem diálogo sensual com Ariel, e Norma aproveita para depois jogar na cara de Cristina que sabe de tudo, e a ameaça de contar tudo. Cristina fica enfurecida e as duas brigam muito feio, e saem nos tapas. Cristina joga Norma da escada, que felizmente apenas sofre alguns arranhões e marcas.
Vilma fica sabendo de tudo e alerta Ariel sobre o perigo que Cristina representa. Porém, a queda de Ariel por Cristina fica evidente e ele briga com ela, mas não faz muita coisa à respeito. Norma decide sair de casa, cansada da situação.
Raphael a leva para a casa de sua família com Alice e Vilma. No caminho, eles passam pelo Hotel Honeymoon, que trás más lembranças, e Norma desaba.
Ela estava realmente muito triste, e Alice vai conversar com ela na varanda de casa, em um dia nublado:
Alice: Norma...
Norma: Alice... Oi, é... Desculpa, estou com a mente um pouco confusa, não estou bem...
Alice: Por...
Norma: Eu não sei bem, são muitas coisas envolvidas...
Alice: Não precisa se esconder, se abra... Eu estou aqui para isso, não é legal ver os outros neste estado e ficar calada. Eu quero te ajudar, Norma...
Norma: Poupe-se, você não precisa disso!
Alice: Mas você precisa!
Norma: Alice, muito obrigada, você é uma pessoa muito gentil, é muito legal da sua parte dar essa força toda, mas me deixe...
Alice: Mas...
Norma: Por favor...
Alice: Norma, nós podemos sair, comer alguma coisa, curtir para você esquecer os problemas... vamos?
Norma: Não, eu não quero nada disso!!!
Alice: Tá! Mas o que você quer, então?!
Norma: Eu... Eu quero morrer! ~chora desesperadamente.
Alice: Ai...
Norma: Eu já pedi... Me deixe só por um instante.
Alice respeita e sai da varanda e vai ao encontro de Rômulo. Intrigada, ela estava muito mal por Norma e conversa com Rômulo sobre o que poderia ter acontecido para ela estar em prantos assim. Rômulo e Alice se veem em um relacionamento pleno e feliz.
Estênio planeja a vingança perfeita para Ariel, mesmo que tenha que se desmoralizar para destruir seu irmão por dentro. O orgulho fala mais alto. Ele e Cristina voltam a se relacionar. Ela dorme com ele, e ele tira uma foto dos dois juntos na cama.
Ariel convida a todos para a festa de Cristina, e Norma planeja contar para Ariel neste dia sobre a traição.
Rômulo e Norma se apresentam mais uma vez. Rômulo vai conversar com Norma no intervalo e tenta fazer ela desabafar, e ela se esquiva. Ela volta mais sentida ainda paa cantar “Honeymoon de Lana Del Rey, e se emociona mais, chora. Foi uma apresentação sofrida.
Ariel tenta convencer Norma a voltar para casa, e depois vai conversar com Vilma. Eles acabam se reaproximando e transam. Norma insiste e fica lá.
Norma e Raphael conversam, ele faz mais uma tentativa fracassada de fazê-la se abrir, sem sucesso. Ela conta sobre a traição por Cristina. Ela lembra de Angélica, e consequentemente da moça parecida que viu na rua. Raphael fica super intrigado com essa história.
Na festa de Cristina. O clima não podia ser pior. Raphael foi provocar Cristina com tudo o que ele sabia, e os dois discutem rapidamente. Cristina troca olhares sensuais com Estênio, mas nem esperava a bomba que estava por vir.
Norma e Raphael contam tudo para Ariel na presença de Cristina. Porém, Ariel não acredita, e Cristina ri cinicamente, só que na sequência, Estênio sobe no palco, chama a atenção de todos e reflete na parede a imagem dele e Cristina na cama. Ariel desaba.
Estênio: Ariel, meu irmão!!! Tu é um corno HAHAHA!!!!!!
Ariel: CALA A PORRA DA BOCA!
Cristina fica desesperada, e Ariel diz:
Ariel: Cristina, você também é uma grande chifruda!
Ariel beija intensamente Vilma, e Cristina fica enfurecida, e elas brigam. Norma ri de Cristina, que a rasga o vestido e a humilha no meio da festa. Norma a dá um tapa e sai da festa com Raphael. Ela chorava muito.
Quando ela e Raphael iam atravessar a rua, um carro passou muito rápido, Raphael empurra Norma e é atropelado. Quem estava no carro não era ninguém mais, ninguém menos que Lauro, apesar de nenhum deles perceber. Norma fica desesperada e pede ajuda.
Raphael acaba no hospital. Norma volta para casa sofrendo depois de tudo e apela para a sexualidade. Ela vai ao banheiro recorrer ao prazer, e por dentro de seu longo vestido vermelho, se masturbava.
Pela primeira vez na sinopse, ela esquece os problemas todos e mergulha no prazer, sozinha em uma cena obscura.
Cristina não aceita ser expulsa da mansão, e Estênio insiste em mantê-la em casa como seu mais novo envolvimento amoroso (ou sexual) para acalmar Cristina, raivosa pois Estênio os expôs.
Ariel vê Angélica no espelho, em sua imaginação. Ele chora com saudades de uma esposa fiél e que o amasse. Porém, Angélica faz sua primeira aparição viva em uma casa humilde, conversando com a vizinha e cita problemas com memória adquiridos após o acidente em que ela teria morrido.
Vilma e Ariel vivem um momento romântico e lúdico. Cristina planeja matar Vilma, pois não aceita ser traída desse jeito.
Raphael volta para sua casa e conta sobre Lauro para Vilma, Alice e Rômulo, que fica enfurecido e nervoso com a notícia. Alice e Vilma conversam sobre isso, e Alice declara que está muito feliz com Rômulo.
Norma estava muito nervosa, e Raphael tenta a acalmar, e eles acabam transando. Angélica aparece na mansão dos Veríssimo, e Norma é acionada. Norma fica chocadíssima, e desmorona. Chora de emoção. Abraça forte a mãe que pensava estar morta.
Um momento de amor puro e verdadeiro entre mãe e filha. Norma nunca esteve tão feliz, e após isso Angélica explica que seu acidente foi armado, e ela sofreu com perda de memória, tal perda que foi regredindo. Ela recomeçou a sua vida até estar pronta para reencontrar a família.
Apenas não lembra quem provocou o acidente, pois lembra que alguém atirou nos pneus do seu carro em frente à curva, e na sequência outro carro se chocou. Ela sumiu e foi dada como morta.
Angélica reconhece Cristina de algum lugar, o que ativa certa suspeita de Norma e Raphael. Cristina foi diminuir Norma, mas Angélica a defende e as duas têm um embate.
Alice é agarrada por Lauro na rua, mas consegue escapar, e pede ajuda. Rômulo se estressa e quer fazer alguma coisa. Ao chegar em casa, ela presencia a triste cena de Cristina assassinando Vilma como uma vingança pela traição com Ariel.
Alice se revolta e agride violentamente Cristina, que sai abatida de lá. Alice sofre pela perda da querida avó. Ariel se sente muito abalado com a notícia dessa morte, e agride Cristina, e acaba preso, enquanto ela foge e Estênio providencia o abrigo para ela.
Norma se enjoa, e no médico descobre estar grávida. Ela fica muito feliz. Ela parecia ter achado sua felicidade com Angélica de volta e uma criança por vir. Alice fica vingativa e quer achar Cristina para vingar Vilma.
Ariel fala com Norma na prisão, e ela fala que ele será avô. Pela primeira vez, pai e filha têm um momento de afeto como esse, e se emocionam. Alice poupa Norma de saber sobre Lauro, pois vê sua felicidade.
Alice e Rômulo discutem pois ele não compreendeu ela, e a culpou pelo assédio de Lauro. Totalmente incoerente.
Lauro arma contra a felicidade geral. Acontece o funeral de Vilma, Alice sofre muito e Cristina observa de longe, rindo.
Estênio e Cristina transam e armam contra Angélica pois Cristina é a culpada de seu acidente, e tem medo de Angélica abrir a boca.
Norma acaba por voltar para a mansão dos Veríssimo por causa de Angélica. A joalheria dos Veríssimo se torna um caos e Estênio tenta controlar toda a situação. Com a crise financeira, demite os funcionários da casa.
Lauro encontra o gancho perfeito para conturbar a vida de todos. Ele, que monitorava a mansão Veríssimo, seguiu Raphael até o bar. Ele ia sair com Rômulo, que queria desabafar sobre seu relacionamento que desandava. Quando eles distraíram, Lauro drogou a bebida deles. Os dois acabaram drogados.
O plano de Lauro fica melhor ainda com algo inesperado. Raphael e Rômulo acabaram se atracando, e transaram no beco ao lado. Alice e Norma se preocupam com o sumiço de seus amados, e vão até o bar em que eles foram, e encontram eles nus no beco após transarem.
Eles acordam desesperados, e as duas ficam com raiva pela traição deles. Elas não aceitam a situação e seus relacionamentos ficam mais conturbados, principalmente o de Alice e Rômulo, que se separam, mas ele não aceita.
Raphael e Norma se afastam um pouco, e Angélica consola a filha. Norma fala de Cristina para Angélica, que tem flashs em sua mente. Logo, é descoberto que Cristina é a grande culpada de seu acidente, e isso atiça Norma.
Lauro invade a mansão Veríssimo e sequestra Norma. Ele estrupa ela, que vê seus traumas voltando à tona e estava aos prantos, sofre como nunca. Ela volta a receber olhares cínicos e frios de Lauro, que para ela tinha ficado no passado.
Cristina entra na mansão quando Raphael sai e maltrata Angélica, que joga na cara dela que sabe que ela é a culpada do acidente. Raphael fica desesperado por Norma e procura ajuda de Alice e Rômulo para encontra-la.
Rômulo tenta transar com Alice, que se esquiva. Lauro força Norma a abortar, e a espanca na barriga.
Cristina se esconde no quarto de Estênio e amarra Angélica nele quando Raphael chega abatido. Estênio diz que Angélica saiu.
Lauro humilha Norma, que sofre ainda mais. Após muitos abusos de Lauro, Norma consegue o nocautear e ligar para Raphael, que chega e a resgata. Ela chega para a mansão Veríssimo e pergunta da mãe.
A desculpa de que Angélica saiu não funcionaria de novo, e Norma fica nervosa, pois algo muito estranho estava acontecendo. Ela procura Angélica, e Estênio tenta a segurar, mas ela acha a mãe com Cristina no quarto. Raphael vai tentar soltar Angélica, mas entra em uma briga com Estênio.
Norma solta a mãe, e Cristina a reduz a nada e a tranca no quarto. Na beira da escadaria, Angélica e Cristina têm um embate épico.
Angélica: Você é problemática, você não pode ser normal... Como alguém pode ser tão amarga assim?
Cristina: Eu não me acho amarga, me acho sensata, esperta, linda...
Angélica: Sensata? Onde está a sensatez em armar um acidente que quase me matou, maltratar a entiada, trair o marido...
Cristina: Ahhh, mas não seja vitimista... Menos, bem menos! Você sabe que eu precisava disso...
Angélica: Precisava de quê?
Cristina: Do dinheiro, do poder, da glória... Eu precisava desse acidente. Não tinha outra escolha, eu estava no fundo do poço, e Ariel era a minha última saída!
Angélica: Você é doente...
Cristina: Mais uma vez: EU SOU SENSATA!!!!
Angélica: Não. Não é! Nem para fazer direito! Você podia ter sido uma boa madrasta, uma boa esposa, uma boa pessoa para compensar o acidente!
Cristina: Me poupe, amor! Todos sabemos que eu sou uma versão muito melhorada de você!
Angélica: VOCÊ É UMA ESCROTA!
Cristina: FICA QUIETA! ~saca uma arma.
Angélica: Não faça isso...
Cristina: Eu faço sim! Eu posso, não tenho mais nada a perder. Apenas perco um peso nas costas. EU PRECISO DISSO! EU PRECISO SAIR POR CIMA!
Angélica: VOCÊ VAI SE AFUNDAR SUA VADIA!
Cristina: VAMOS ADIANTAR AS COISAS? Vamos, diga suas últimas palavras!
Angélica: Eu queria dizer que eu amo minha filha... Isso é tudo. ~se emociona e chora.
Durante o diálogo, Raphael chamava a polícia após abater Estênio. Alice ia visitar Norma, e deu de cara com o embate no topo da escada. Norma arrombou a porta, se deparou com Cristina quase atirando em sua mãe, e a empurrou da escada.
Cristina rolava pela escada, e no final, levou uma facada de Alice, como vingança a Vilma.
Norma e Alice acabam por fugir antes que a polícia chegue. Estênio foge após a morte de Cristina para fugir daquele hospício.
Lauro lembra da noite no Hotel Honeymoon, em que RAPHAEL o esfaqueou. Ariel fica sabendo do aborto de seu neto, e briga com Norma, incompreensivo. Ele esculacha a filha, que se sente muito mal e desaba.
Norma planeja matar Lauro, e arranja uma arma, guarda em seu vaso de flores e volta para se esconder na mansão dos Veríssimo.
Lauro entra na movimentada mansão Veríssimo e tenta matar Raphael, mas o tiro pega em Angélica. Após isso, Lauro tranca os dois no quarto dos fundos. Raphael tenta cuidar da ferida de Angélica, enquanto Norma pensa que a mãe já estaria morta, e sofre como nunca antes.
Para completar, ela é estrupada mais violentamente do que nunca. No dia seguinte, nublado e frio, ela acorda do lado de Lauro após os estrupo, saca a arma do vaso, aponta para Lauro. Passa um filme em sua cabeça. Ela lembra das inúmeras humilhações por Cristina, que sua mãe teria morrido definivamente, de seu filho abortado à força, do fora que levou de seu pai...
Resolve se matar, e ao som de Honeymoon, da Lana Del Rey, vai até a varanda lentamente, chora, esbraveja, e em uma triste cena, se mata.
O som do tiro assusta Rapha e Angélica, que juntos quebram a porta depois de várias tentativas. Angélica desaba e chora intensamente, enquanto Raphael e Lauro têm o embate final, épico, cheio de lembranças, e que resulta em pancadaria. Rapha acaba por pegar a arma de Norma e matando Lauro.
Após essa sequência de tragédias, Alice se entrega para a polícia por matar Cristina. Rômulo surta por isso, enlouquece sem o seu amor e desacata o policial. O seu instinto ciumento, apaixonado acima do tom acaba falando mais alto, e ele é internado.
Raphael vai preso pela morte de Lauro. Angélica sofre no enterro de Norma. Ela acaba sofrendo e morando sozinha, amarga e larga tudo para voltar para a sua antiga casa quando era desmemoriada, no bairro humilde.
Ariel continua preso, e mantém contato com Angélica. Estênio sustenta a joalheria Veríssimo sozinho e em ruínas.
A cena final é de Angélica, sozinha, olhando para a luz da lua cheia, lembrando de Norma, chorando.
FIM

Rapha

Mensagens : 15
Data de inscrição : 05/02/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum