Labirinto das Águas by Exaustão

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Labirinto das Águas by Exaustão

Mensagem por J em Sex Mar 24, 2017 3:35 am


No interior de Minas Gerais na cidade de Alvorada, existe um lugar que atrai todas as atenções e também muitas discussões pelo local: o rio Labirinto. Cristalino e de uma coloração levemente rosada, tem mitos de que sejam águas de propriedades curativas e também já outras pessoas acusam de ser um rio perigoso, com vida própria, que ataca e tira vidas de quem o subestima. O rio, que é afluente do São Francisco, é relativamente curto e se passa praticamente numa grande extensão de latifúndios. No caso, são as fazendas Primícia e Altaneira que disputam a posse do rio, já quase na confluência no São Francisco, numa área muito menor e modesta, fica a fazenda Oliveiras que vive da frequentação turística de habitantes da cidade, cujo é totalmente criticada pelas fazendas maiores.

O dono da fazenda Oliveiras é Jonas (Dan Stulbach), casado com a exuberante Augusta (Letícia Spiller) que gerencia o clube do Labirinto com ajuda do seu filho de 17 anos, Kiko. Jonas é o melhor amigo ou melhor “rival” por se assim dizer de Gabo (Vladimir Brichta), o dono da Altaneira, que além de ter Gabo como  com Conceição ou melhor dizendo, Concon (Giovanna Antonelli) e os dois possuem a doce Tulipa, uma adolescente romântica e muito ligada com o pai por ser íntegro e justo, totalmente contrário da mãe, que é uma narcisista numa fantasia de beata, vive em constantes atritos com Concon, que quer controlá-la a todo custo. Os amigos sempre buscam saber quem é o dono da Primícia, que vive em Uberlândia, mas que nunca deu as caras no local e vive brigando judicialmente contra que os habitantes frequentem o rio, que fica na divisa entre Altaneira e a sua.

Mas Alvorada também não vive só de brigas pelo rio, mas também de fofocas sobre forasteiros que vem para lá, que é o caso do Padre Tadeu (Alexandre Borges) que veio assumir a problemática igreja matriz da cidade, em que os habitantes sempre espantam os párocos-chefes por uma conduta muito fervorada, liderados principalmente por Concon. Mas no mesmo ônibus, também chega a sonhadora Margarida (Gabriela Duarte) com o seu filho Zeca para recomeçarem a vida longe da metrópole de Belo Horizonte e também para que ela reencontre sua antiga cidade. Zeca não sabe quem é o seu pai e durante a viagem, pela a proximidade entre Tadeu e Margarida. Ao chegarem na cidade, Zeca e Margarida se hospedam no quartinho dos fundos da paróquia, que levanta muito burburinho pela cidade e também as fofocas de Concon, que logo ataca Margarida aos quatro cantos do lugar por ser “amante” do padre.

Porém, Margarida fica em segundo plano nas rodas de conversa da cidade, pela vinda da cafetina espalhafatosa Leila (Adriana Esteves) e sua trupe de putesas (mistura de puta e princesa) com ao intuito de instalar um prostíbulo numa cidade tão beata. Leila é autêntica e irreverente, e logo na sua primeira saída da van tem atritos com Concon, que revida e logo saem na pancadaria. As beatas da cidade com o aval de Concon fazem um boicote contra Leila exigindo que ela saia de espaços públicos e privados. Mas ela pouco se importa e ao visitar o rio, se encontra com Augusta e então as duas amigas se reconhecem e se abraçam. Então, Augusta dá um esconderijo secreto para Leila e suas meninas, mas além da responsabilidade do “ofício”, Leila também cria a sua afilhada Ívine, que logo fica cheia de encantos por Kiko.

Margarida sai à procura do filho, que disse que iria sair rapidamente de casa e logo entra em desespero após ele ter falado para Tadeu que iria para o rio. Zeca, ao chegar no lugar se perde por não achar o rio e sai para procurar ajuda, já na calada da noite, ele entra na propriedade dos Altaneira e logo é pego pelo adolescente Beto pensando se tratar de um ladrão. Beto é filho da empregada Nádia (Maria Clara Spinelli), que esconde certos segredos sobre ela (que vocês já sabem o que é). Após Zeca ser pego, a fazenda entra em alerta e ele explica que se perdeu, mas ninguém acredita nele, exceto Tulipa que rapidamente se encanta por ele, para o ciúme de Beto que sempre a amou platonicamente. Gabo decide chamar a polícia, porém Tulipa o convence de liberá-lo, também fala com Beto para que o deixe escondido conhecer o rio. Esperta, assim que todos vão dormir, ela vai até o encontro de Beto e Zeca até o rio.

Enquanto isso, Margarida e Tadeu vão até o clube do Labirinto para saber se Zeca está lá. Mas ela se surpreende ao encontrar pessoas que fizeram parte do seu passado lá. Jonas foi seu grande admirador na adolescência e suas melhores amigas de internato Leila e Augusta, mas a alegria do reencontro se passa rápido após ela pedir ajuda para encontrar seu filho. Jonas logo pede para que Kiko no seu quarto, ajudar nas buscas, mas ele mal sabia que o filho e Ívine estavam se beijando. Porém, ao notar que Jonas já se foi do corredor, os dois saem de fininho e vão participar da procura.

No rio, Zeca e Beto escutam um barulho estranho, mas descobrem que era apenas Tulipa querendo assustá-los. Beto pede para que Tulipa volte para o casarão, mas ela decide ir com eles para o rio mesmo sabendo que na altura da noite era perigoso ir para lá. Ao chegarem na margem, Kiko e Ívine veem os três no outro lado do rio e nadam até lá. Então os cinco passam a se divertir e trocar informações, mesmo sequer se conhecerem direito. Durante toda a brincadeira dos cinco, os pais deles estavam completamente desesperados, principalmente Gabo e Nádia, que descobriram que os dois haviam fugido. Os cinco sem se preocupar com nada, sendo apenas adolescentes ingênuos, passam a brincar de afunda e volta nas correntezas do rio, que era simplesmente ir até o leito mais movimentado do rio, afundar e voltar mais rapidamente para a margem. Primeiro foi Beto, mas como ele era o mais experiente do grupo veio rapidamente, depois foi Kiko, depois Zeca que engoliu bastante água, logo foi Ívine que fingiu que havia afundado de verdade só para assustá-los e foi a vez de Tulipa... só que assim que ela foi afundar, veio um tronco de eucalipto enorme e a arrastou para longe do rio. Então uma caça por Tulipa se inicia, que se afoga e pede por ajuda sendo totalmente arrastada pela correnteza do rio. Todos os seus amigos entram na correnteza forte para salvá-la e todos são levados por ele. Ao chegarem ao ponto da prainha dos Oliveira, Margarida, Leila e Jonas escutam os gritos dos garotos sendo arrastados pela fúria do rio e sendo levados a altura da propriedade Primícia. Zeca consegue puxá-la do fundo do rio e levar para o deck já da fazenda Primícia, já desacordada.

Mas nesse dia, a fazenda Primícia não estava vazia e erma como sempre... E assim que viram lanternas chegando para o deck enorme, Ívine, Beto e Kiko fugiram para o imenso labirinto feito de jardinagem dentro da própria fazenda, que era um meio de exaltar a figura de que o rio pertencia à ela. Porém, assim que chegam nele se perdem rapidamente. Zeca fica ao lado de Tulipa desacordada tentando fazê-la voltar a respirar com massagem e boca-boca, mas ela se acorda e os dois se beijam a luz das lanternas e um grito de MINHA FAZENDA VIROU MOTEL DE PIRRALHOS?. Era Neco (Rodrigo Lombardi), que voltou durante anos do seu escritório da sua empresa de extração de eucaliptos em Uberlândia para assumir a sua fazenda. Zeca se explica para Neco que eles estavam no rio e foram arrastados para lá, porém ele não acredita na história. Zeca grita para chamar seus amigos e provar que está falando a verdade, mas eles estão presos no labirinto de jardinagem e sequer escutam o que está acontecendo. Tulipa, já cambaleante e zonza grita alto e é o suficiente para que Jonas, Leila e Margarida venham até o lugar e socorram os meninos. Jonas e Leila vão até o labirinto resgatar os que estão perdidos e Margarida vai até o deck, mas dá de cara com Neco discutindo com Zeca e se choca ao ver que o pai e filho estavam discutindo a ponto de se baterem. Margarida protege o filho de um tapa e o Neco troca olhares com ela sem acreditar que se trata mesmo de sua ex-namorada.

Nádia chega a fazenda e pega Tulipa e vai atrás de Beto, que está com Leila. Jonas acha Ívine, mas descobre que Kiko conseguiu sair do labirinto antes dos outros e fugiu, mas se tranquiliza ao saber que ele foi procurar a mãe. Jonas olha pra Neco e diz que enfim veio o marajá de Alvorada, que é o apelido depreciativo que ele ganhou pela cidade. Os dois chegam a discutir rapidamente, mas Margarida aparta a briga, depois ele chega perto dela querendo conversar sobre o passado deles. Só que ela desconversa e vai embora com Jonas, que nessa altura não sabe se os sentimentos por Margarida voltaram, mas decide esquecer indo para casa com Leila, Ívine, Zeca e ela.

Kiko vai pela margem e vê um carro no fundo perto de uma mata fechada, no início desconversa internamente para não ir até lá investigar, mas seu instinto fala mais alto e decide até lá, logo escuta o diálogo de um casal: “-Onde você tava? Acha que...” e a mulher fala “-Não sei... Mas eu tô quase catatônica aqui de tanta aflição”. Kiko chega mais perto e ouve o homem dizer: “Mas eu não te deixaria aqui caída, olhando para as estrelas esperando que algum pombo da noite... (risos) existe? deixasse seu rostinho sujo” e já em cima de vê-los, a mulher diz: “NOSSOS FILHOS PODEM ESTAR NO FUNDO DAQUELA MERDA ROSA E VOCÊ AINDA FICA TIRANDO SARRO, SEU IMBE...”. Assim cortando-a com o um beijo acalorado, a lanterna desligada do homem cai e com o impacto se liga na escuridão e choca Kiko com a visão de que Augusta e Gabo eram amantes, depois de uma imagem perturbadora, ecoa um sonoro “-MÃEEEE”, e o casal se espanta sem palavras e sem nenhuma explicação, que na teoria não tinha condições de serem feitas naquele momento. (Me segurem com o meu gancho do primeiro capítulo).

Kiko cobra explicações de sua mãe e Gabo aproveita a brecha para ir embora no carro. Augusta explica que ele precisa entender que ela e Gabo se amam, e que ele vai se separar da sua mulher para ficar com ela após ela pedir o divórcio de Jonas, que só deixa o garoto com mais ódio. Augusta se ajoelha para o filho e ele se apieda da mãe e lhe dá um prazo para que ela vá embora de sua casa e lhe deixe em paz. As palavras duras dele a deixam completamente triste e abatida que até Jonas percebe o clima estranho entre os dois. Margarida precisa de carona até a cidade e então Jonas se oferece para deixá-la na igreja, rola um clima entre os dois ao sair do carro junto com Zeca, que completamente fissurado pelo beijo de Tulipa nem percebeu a aproximação entre os dois. Zeca entra na sacristia e Margarida recebe um abraço forte de Jonas, que logo se sucede com um beijo.

Gabo retorna para casa na madrugada e Concon o questiona por não tê-la acordado ao saber que a filha havia sumido e ele diz que não queria preocupá-la à toa já que Tulipa está bem e sem nenhuma hipótese a revelou o que aconteceu e nem o afogamento dela para a esposa. Tulipa o questiona de não tê-la ido pegar no casarão Primícia e Concon questiona novamente por onde ele estava, mas ele diz que estava procurando a filha e soube por Jonas que já foram encontradas e vai para a cama completamente “enfurecida” para escapar de mais perguntas, que mesmo assim deixam Concon desconfiada.

Amanhece e Margarida acorda com Neco na porta da sua casa disposta a conversar sobre eles, ela tenta bater a porta na sua cara, porém ele força e os dois discutem. Tadeu intervém e diz que os dois precisam conversar, levando Zeca para uma visita até a fazenda Altaneira para pedir desculpas pelo transtorno da madrugada. Margarida e Neco começaram a trocar tantas farpas que no fim viraram pedidos de desculpas principalmente vindos dele e os dois se beijam, mas Margarida ainda fica mexida pelo fato do seu beijo em Jonas e recua de querer ter algum compromisso com Neco, apesar dele ser o pai do seu filho. Neco logo percebe que Margarida esconde alguma coisa dele e pergunta se Zeca é o filho dele. Ela tenta disfarçar, mas assume e isso lhe deixa completamente enfurecido e ele vai embora, deixando Margarida triste e também culpada de ter lhe privado um direito dele, já que ele não sabia da gravidez dela.

Tadeu chega à fazenda Altaneira com Zeca e logo é recebido às turras por Concon que acha que o padre está acobertando um trombadinha. Gabo intervém e deixa o garoto entrar com o padre Tadeu, que logo trata de incentivá-lo a fazer uma confissão. Zeca e Beto fazem às pazes e rapidamente trocam confissões, jurando ser melhores amigos, nada muito diferente do que acontece com Tulipa e Ívine, apesar da reprovação de Concon da que a filha andasse com uma meretriz-mirim como ela mesmo diz. Apesar de retrair inicialmente Gabo faz a confissão e conta do seu caso de anos com uma mulher e que se sente culpado de trair um amigo, o que ele não sabia é que Concon estava escutando pela fresta e logo trata de descobrir quem é a amante de seu marido.

Neco traz Zeca pelas orelhas de Altaneira para a sua fazenda, obrigando a ficar longe da mãe. E ele conta que é o seu pai na sala dos Altaneira deixando todos chocados, não só pela revelação, mas por um estranho que nunca viram entrar com uma altivez nunca vista no casarão da família e isso desperta a raiva de Gabo. Concon que estava completamente maluca com a confissão do marido, se choca ao ver que Neco Primícia estava na sua sala. Neco e Concon eram namorados na adolescência e ela foi obrigada a se casar com Gabo por ter ficado com ele para provocá-lo, mas engravidou e teve que ser obrigada a se casar com Gabo, que por sinal nunca gostou da esposa. Neco sempre foi a sua paixão e então desde a partida da sua obsessão tão calada e quieta, ela ficou mais retraída e só então soltou os cabelos e se envaideceu... para nada. Se sente frustrada por isso e agora vê uma chance de tê-lo ao seu lado, nem que faça as maiores loucuras para isso, já que a tão temida “a raposa” chamada altivamente pelos moradores, viera a agir e dessa vez capaz de tudo para conseguir o que quer.  

Tulipa vê Zeca sendo escorraçado e levado para Primícia e logo trata de ir com Padre Tadeu até a cidade e chamar por Margarida, dizendo que Neco o obrigou a ir para a fazenda e privá-la de ver o filho. Ela vai até a fazenda luxuosa de Neco, vai então completamente cheia de furor e ele cheio de ódio começam a trocar acusações novamente, mas dessa vez, a ira passa e paixão retorna cada vez mais forte e os dois se beijam e decidem recomeçar novamente com Zeca ao lado deles.

Jonas vai até a Primícia após descobrir que Neco pretende comprar a sua parte da fazenda por pura implicância e vê ele e Margarida se beijando. Sai frustrado e triste da fazenda para o bar da cidade, onde a forte Marilene (Déborah Evelyn) toma conta. O lugar é o point de Alvorada, tem de tudo, vende roupas, comida até acessórios automotivos. Mas todas as lendas da cidade se concentram de que Marilene esconde a tumba do falecido marido dentro do estabelecimento e transa com ele todas as noites, pelos gemidos altos de prazer que ecoam pela cidade. E o beato Silvan (Ângelo Paes Leme) tenta descobrir o que há naquela tumba e desmascará-la, o que ele não esperava era se apaixonar pela a devassa necrófila.

Leila consegue abrir seu estabelecimento com o nome mais direto possível: Cabaré da Leila. Padre Tadeu fica completamente pressionado a agir contra o estabelecimento e na noite de abertura até pega uma retroescavadeira para destruir, mas Leila consegue impedir isso após pegar um microfone e fditar um conto erótico na frente de toda a matriz, que se choca e vai embora, menos Padre Tadeu que fica excitado com os contos de Leila e vai para a igreja se arrastando no chão para não perceberem a sua “alegria”. Leila e Tadeu vivem uma intensa troca de ódio e tesão. Porém, iludidos os que pensam que Leila era uma mulher pervertida, Leila herdou o bordel do antigo padrasto que se casou com a sua mãe para afastar seus boatos de que era gay e Leila teve que usar o ofício dele para sobreviver, mas ela nunca trabalhou no ramo, tanto que até tinha provas disso: era virgem. Ela tem sonhos eróticos completamente malucos que até fazem estragos e até mágicas pelas rodas de conversas da cidade, boatos de que até sua calcinha pegou fogo no seu corpo e para esfriar a bunda teve que sentar na fonte da cidade no meio da madrugada. Mesmo com o seu atestado de castidade, Leila queria mesmo era que alguém “entrasse na sua porteirinha” e o felizardo era Tadeu e jurou a si mesma que ia tirar o furacão da batina, principalmente após ver os banhos nada castos do padre no rio com o seu “varão” abençoado.

Zeca e Neco se entendem e passam a conviver juntos, rapidamente criam uma intimidade entre pai e filho para a alegria de Margarida, que é rapidamente surpreendida por um pedido de casamento feito por Neco, disposto a criar uma família. Concon descobre o casamento de Neco e fica completamente furiosa, mas por enquanto o seu foco é descobrir quem lhe estava passando o chifres. Durante semanas vigiando o marido, quase o flagra com Augusta, mas ele consegue se desvirtuar dela e ir com o carro para outra estrada, mas ela ao voltar percebe que Augusta estava sozinha na estrada parecendo que estava esperando alguém e resolve lhe dar uma carona para investigá-la, fica desconfiada e quer por que quer por a prova dos nove. A Raposa fica cada vez mais pensativa e decide seduzir o filho de Augusta para conseguir o que queria, Concon faz com que o namorico de Kiko e Ívine acabe e ela passa a rondar o garoto, que percebendo as intenções dela jura que faz de tudo por ela. Completamente esperta, A Raposa consegue seduzir o garoto até o campo e lá ela tira a virgindade de Kiko jurando assim fidelidade para o garoto que havia completado 18 anos e ganhou seu presente de aniversário e a beata prostituta consegue cada dia o seu objetivo.

Margarida e Leila percebem que Augusta está cada vez mais inquieta e angustiada, e agora amedrontada pela possibilidade da Raposa descobrir seu caso com Gabo e conta sobre toda a sua história com a amante deixando as suas melhores amigas chocadas. Leila dá a ideia de que ela e Gabo fujam da cidade num dia festivo e que vivam felizes em Belo Horizonte, Margarida discorda de tudo e afirma que ela e Gabo precisam ser honestos com seus cônjuges e falarem a verdade e serem felizes sem se tornarem fugitivos. Gabo vai até a Primícia falar com Margarida sobra a decisão de fuga e que ele e Augusta não iriam voltar atrás e que era para ela estar de boca fechada. Neco os flagra e enche de perguntas sobre a presença do inimigo na casa dele falando com a mulher. Cheio de ciúmes, pergunta se eles tem alguma coisa e ela nega ficando chateada pelas afirmações, só que ele fez o escândalo na festa de noivado na frente de toda a cidade no banquete, que comenta o ocorrido. O fato chega aos ouvidos da Raposa, mas ela ignora porque na confissão seu marido disse que o caso era há mais de anos e não era uma forasteirazinha que ia ser ela, também ela sabia do comportamento explosivo de Neco.

Chega o dia do casório de Neco e Margarida, justamente no dia marcado para a fuga de Gabo e Augusta. Na fazenda Oliveiras, Jonas é surpreendido por Augusta pedindo desculpas, completamente cheia de remorso antes da fuga estipulada por ela e Gabo. Jonas já estava completamente arrasado com o casamento de Margarida e recebe a confissão de sua mulher do seu caso com Gabo. Jonas simplesmente fica calado e depois começa a rir, pois nunca amou de verdade Augusta, e fala que apenas se casou com ela como um meio de esquecer outra pessoa. Augusta logo diz que sempre soube da sua paixão platônica pela a amiga e os dois colocam um ponto final no seu casamento de cortinas. Jonas deseja boa sorte para Augusta e ela lhe faz prometer cuidar de Kiko. Só que ela não imaginava que ele estava atrás da porta escutando a conversa e logo pega a sua bicicleta até a propriedade dos Altaneira contar para a Raposa, que assim descobre a fuga fica completamente fora de si com a possibilidade de ter a fama de corna pela a cidade de Alvorada. Ela pega sua pistola e vai de encontro do local combinado pelo casal.

Na igreja, Neco fica completamente ansioso e Zeca pede para que ele se acalme e solta que a mãe será entregue para ele nas mãos de Gabo, deixando completamente enfurecido. Gabo vai até a Primícia pegar Margarida para entregá-la a Neco e logo depois sair de fininho da igreja, pegar Augusta na mesma estrada onde eles se encontram e fugirem para Belo Horizonte. A Raposa chega mais rápido e manda Augusta entrar no seu carro sob a mira de uma arma. Logo ao entrar na estrada para a cidade, ela vê Gabo levando Margarida para a igreja, e então ela decide persegui-lo completamente ensandecida, disposta a fazer besteira, então a Raposa entra numa outra estrada e Gabo se alivia com o susto e sem notar que Augusta estava no veículo. Mas num cruzamento no meio da nada, eis que chega a Raposa e o fecha, fazendo que o carro bata num transmissor de energia. Margarida fica descordada e Gabo sai do carro já zonzo indo direto para a mulher que já está com Augusta sob a mira. Os dois tentam negociar com a Raposa, mas ela fica irredutível e diz que matará os dois ali mesmo. Augusta fica completamente possessa após ouvir que a Raposa transou com o seu filho e dizendo que ele a entregou para a morte e vai brigar corporalmente com a intenção de pegar a arma. Cinco tiros são disparados da arma para o alto e Augusta tira o revólver da mão da Raposa para um pouco longe e começa a lhe dar uma surra, mas Concon não se rende e então ela lhe dá uma pedrada na Raposa para que ela não a mate pegando a arma. Então Augusta e Gabo se abraçam com o fim do pesadelo e se beijam numa mistura de aflição e conforto, mas a Raposa se levanta sorrateiramente e pega a arma e vai com toda a direção para eles, fazendo que o único tiro que restava matasse os dois. Completamente sem entender o que fez, ela deixa a arma cair em cima do sangue dos amantes e vai embora no seu carro.

Ela vai para o casarão Altaneira e chora na sua banheira, fazendo que Tulipa, que estava esperando a mãe pra ir ao casório desconfiar do que aconteceu. Então na banheira, a Raposa descobre que Margarida estava no local e faz uma denúncia para a polícia dizendo que a noiva descobriu que o seu amante havia marcado de fugir com outra mulher e matou os dois. E ela vê nisso a chance perfeita de conseguir Neco, além das possibilidades que tudo pode lhe oferecer, sai do banho e se veste glamourosa para o casamento, que até chama atenção da Nádia que nunca viu uma mulher tão religiosa daquele jeito tão deslumbrante. Tulipa e Concon vão até a igreja e se deparam com a cidade toda em polvorosa no local. Zeca está completamente desesperado com o sumiço da mãe e Neco está irado com o que está acontecendo. Já na estrada, Margarida se acorda e vê o cenário de terror em que acordou, vê ainda Augusta balbuciando e pedindo perdão pra ela por ter estragado o seu casamento, mas na hora que ia revelar quem fez aquilo... ela morre. Durante o momento, Margarida faz a burrice de pegar na arma que estava em cima de Augusta para colocar a amiga no colo. Ao ver que ela morreu, ela vai para a cidade em busca de ajuda e chega a igreja totalmente suja de sangue como se ela tivesse saído de um filme gore. Ela pede ajuda a todos pelo o que aconteceu na estrada dizendo que Augusta e Gabo foram assassinados. Neco insiste em se casar mesmo com tudo o que aconteceu e Margarida acha insensata a atitude dele, porém ele obriga todos a ficarem no local. Na hora do sim... a polícia chega e prende Margarida como a autora do disparo que matou Augusta e Gabo. E quando o policial cita as motivações do crime, Neco parte pra cima de Margarida e Zeca impede que ele a bata, mas ele é quem recebe o tapa do pai. Tulipa se choca com a mãe achando a situação completamente cômica e desconfia que ela possa estar envolvida na morte do pai, já que durante toda a cerimônia ela riu, bebeu vinho com os convidados como se ele estivesse presente.

Os convidados cochicham sobre Neco foi corno e fica enfurecido com todos eles e ele expulsa os convidados da igreja. Margarida é levada para a cadeia e todos da cidade a desprezam, apenas Leila, Jonas e Tadeu ficam ao seu lado. O último, nem pode exercer publicamente de boa vontade com ela, já que o povo da cidade a rejeita e ele precisa manter a reputação de padre. A Raposa se aproxima de Neco, que completamente fragilizado, aceita de compaixão fraterna dela e ela consegue seduzi-lo. Jonas fala que não é possível que Margarida matasse alguém, principalmente uma amiga. Zeca fica completamente abatido e passa a ser rejeitado por Neco na fazenda, o que piora mais ainda é que a Raposa fica rodeando Neco com indiretas de que ele não pode ser seu filho.

Zeca e Tulipa ficam completamente tristes com o que aconteceram com seus pais se aproximam mais e mais até que se beijam novamente, e os dois passam a namorar escondido. A Raposa decide por em prática o plano de dizer que Tulipa é filha dos dois, o que parece totalmente sem sentido e nexo para Neco, mas ela inventa que ela é fruto dos dois, mas que teve casar com Gabo para que ela não tivesse a filha sem o pai, principalmente de uma família rica (e falida atualmente) da cidade. Neco fica confuso com as afirmações de Concon e decide dar um jeito nisso. Zeca e Tulipa transam no rio na primeira noite de amor de cada um. Enquanto isso, Beto e Ívine se aproximam, mas ele tem vergonha se namorar uma sobrinha de uma cafetina. Ao perceber isso, ela se afasta dele. Jonas se declara para Margarida, que aceita o seu amor e ele tem plano de fazê-la fugir da cadeia.

Neco recolhe amostras escondidas de DNA de Tulipa e Zeca para análise, só que a Raposa é mais esperta e pega um cotonete reserva e passa num copo de suco de Zeca para fingir ser o de Tulipa. Mais tarde vem a notícia que os dois são irmãos e isso choca os dois, principalmente Tulipa que fica assustada por ter transado com próprio irmão. Neco se deixa seduzir pela Raposa e marca a data do casório no civil, obviamente pelo trauma do religioso. Kiko começa a perseguir Concon cobrando para que ela volte com ele, senão ele contará tudo que sabe e ela se sente acurralada, mas consegue enrolá-lo. Tulipa flagra um desses momentos de cerco de Kiko por telefone com alguém (Raposa) ameaçando falar a verdade sobre o assassinato dos amantes, então decide seduzir Kiko para investigar a relação entre esses dois. Ela vai até a fazenda Oliveiras junto com Ívine à noite após pegar a chave da casa e fazer uma cópia para pegar o celular de Kiko com as mensagens e ameaças do outro alguém que sabe o que realmente aconteceu na noite da morte de seu pai.

Ao ver o celular, as duas amigas se chocam com a descoberta de que aparentemente Concon foi a assassina. Então, Tulipa manda que a sua amiga fique com o celular no bolso e não o esconda até que as duas decidam quando vão entregar a polícia. Ívine decide ir para a cidade pois a sua madrinha irá sentir falta dela e pergunta se Tulipa quer ir com ela, mas ela nega e vai para o seu antigo casarão (Altaneira, já que a Raposa se casou com o Neco e foi morar na Primícia). Kiko descobre que seu celular foi roubado e lida de um orelhão para Concon dizendo que alguém roubou o celular dele com várias mensagens SMS de ameaças dos dois. Ívine chega na cidade e diz pra Zeca que foi Concon que aparentemente fez os assassinatos e vai até a fazenda Primícia à noite e a acusa de ter feito o crime. Neco o expulsa, acusando de querer atingi-la com o seu fracasso e o humilha. Tulipa liga para Zeca pedindo ajuda para buscá-la no seu antigo casarão e ele a destrata, a xinga de ser cúmplice da mãe e que ela sempre soube do que a mãe fez e não fez nada para protegê-la. Os dois brigam por telefone e ele diz que vai matá-la assim que a encontrar, sendo explosivo inutilmente assim como seu pai.

A Raposa se toca que foi Tulipa que descobriu o seu podre e liga pra Kiko contando o fato e diz que não sabe o que fazer. Ele para, respira bem fundo e diz que vai resolver tudo, deixando-a completamente assustada. Kiko pede informações para Nádia sobre porque que Zeca estava gritando no telefone na casa (já que Kiko foi para a fazenda Primícia a mando da Raposa) e ela disse que a Tulipa tinha chamado ele no telefone para buscá-la na fazenda antiga deles. Ele diz que vai embora para a casa e se despede de Neco, que vê a figura de Kiko como um garoto responsável. Kiko pega jaqueta vermelha e vai até o casarão antigo da Raposa. Disposto a dar um susto em Tulipa, ele vai em casa e pega uma arma que não dispara e vai até o seu encontro sorrateiramente sem que ela perceba, ele dá uma coronhada na parte de trás da cabeça e a deixa completamente tonta e zonza sem ver quem está na sua frente, apenas um borrão vermelho de uma jaqueta, então, o borrão chega cada vez mais perto dela, a agarra com força e lhe estupra. No meio da cena horrorosa, ela desmaia e então seu agressor sai lentamente e vai correndo para longe do lugar, achando que matou Tulipa. Ao chegar perto da cidade, ele se livra da arma e do sangue, mas antes de se livrar da jaqueta, Zeca o surpreende e pede explicações sobre o celular.

Tulipa acorda e ainda zonza pelo que tudo que aconteceu, pega o celular chamando por Ívine para vir até lá porque um cara de jaqueta vermelha a estuprou. Ívine vai socorrer a amiga e corre à pé para chegar até lá, e sem ajuda pois Tulipa não pediu que ela chamasse autoridades. Zeca impede que Kiko vá embora e lhe compromete a deixá-lo na caminhonete do seu pai ao invés de ir à pé, numa intenção de tê-lo mais ainda para cercá-lo. Durante o trajeto, os dois discutem e Zeca acusa ele de ter parte da morte de Gabo e da própria mãe, ele obviamente nega dizendo que jamais faria isso e eles discutem ainda mais e brigam ao volante e ao verem Ívine na estrada, os dois tentam desviar dela e acabam capotando o carro. Ívine após ser atropelada, tenta se levantar mas não consegue. E essa é a brecha de Kiko, que sai do carro e vê o seu celular na estrada, que pega, indo direto para o rio e fugindo por ali. Ívine após o choque, se levanta e vai ver quem lhe atropelou sem gravidade e se choca com a visão de Zeca com a jaqueta vermelha em cima do capô, porém achando que o celular se perdeu no meio da estrada. Vendo o que aconteceu, Ívine pega a jaqueta e parte em disparada para o casarão Altaneira e vê Tulipa no chão, manda ela se acalmar ficando quieta, apesar de vê-la completamente ensanguentada pelo atropelamento e pergunta: “Lipa, essa jaqueta era do cara que fez...” e Tulipa faz o gesto de confirmação com a cabeça. As duas vão até a Primícia e Tulipa pede que a amiga durma com ela e Beto fica desconfiado com os ferimentos das duas e as levam para fazer curativos, logo percebe o incômodo de Tulipa com ele. Ligam para a fazenda e afirmam que Zeca sofreu um acidente e o levam para o hospital. A Raposa tenta matá-lo desligando os aparelhos, mas é flagrada por Jonas.

Ívine e Tulipa vão dormir na sacristia do Padre Tadeu, que oferece abrigo para elas, mas antes elas juram que nunca irão falar do que realmente aconteceu e que jamais vão dizer que Tulipa foi estuprada pelo próprio irmão por vingança. Disposta a não ver mais o irmão e como perdeu as provas do assassinato de seu pai, Tulipa decide fazer as coisas e ir embora por vontade própria da cidade, esquecer de todo os tormentos que passou e se mudar para Belo Horizonte. Então, na calada da noite fria, ela vai até o quarto de Beto lhe entregando um bilhete de despedida e logo após bate na porta de Ívine, já em frente ao estabelecimento da sua madrinha. Pede para que a amiga lhe acompanhe até a rodoviária para que o ônibus lhe leve para recomeçar a sua própria história.

Margarida descobre o acidente e a tentativa de assassinato de seu filho, logo então pede para que Jonas consiga o meio de realizar a sua fuga. Na hora marcada, uma bomba explode na delegacia e Margarida escapa. No dia seguinte, ela procura o filho no hospital disfarçada e flagra a Raposa no local que desconfia, mas depois de vê-la no quarto do filho lhe tira o disfarce e as duas se atracam, mas quem se dá a melhor é Margarida que pega um bisturi e arranha Raposa, depois foge do local. A Raposa descobre o que Kiko fez com a filha fazendo que ela fugisse de casa e ela arma uma armadilha lhe jogando no labirinto de jardins com seus rottwailers e assistindo toda a cena em cima da passarela de vidro que passa pelos canteiros. E ela faz ele jurar que nunca mais fará isso, então depois do susto, ela consegue um vaga no seminário de Belo Horizonte para que ele não vá se preso no caso Tulipa volte e o denuncie.

Jonas descobre que sua mãe era amante de Valdo Primícia, o dono da fazenda Primícia e pai de Neco. Ele se enfurece com descoberta e vai até a fazenda atrás de informações e é confirmado que os dois são irmãos após Nádia dizer que Valdo era mulherengo e que tinha várias amantes, dentro e fora de casa. Neco então lhe fornece um acordo para que o escândalo não se espalhe, mas Jonas quer dividir a casa e a propriedade, vendo que não possui escolhas, Neco dividirá a casa com o irmão, para o ódio de Raposa. Mas parece que tudo isso será rápido, já que Jonas pretende sacar toda a sua herança e fugir com Zeca e Margarida para fora do Brasil.

Concon descobre a cabana onde Margarida se esconde da polícia e vai lá ameaçá-la para descobrir quem está com ela. Margarida pega uma faca e tenta se desvencilhar da Raposa, porém ela é mais rápida e consegue deixar uma marca no seu rosto. E ela corre para o matagal próximo ao rio. Jonas e Zeca chegam ao local e vão tentar encontrar Margarida na mata. Concon liga para a polícia para fazer alerta de que Margarida tá pelo local. Zeca e Margarida se encontram e entram no carro de Jonas que ainda está ainda procurando ela. A polícia chega e cerca o carro e dá uma rajada de tiros. Margarida recebe todos os tiros e Zeca completamente desesperado atira o carro para cair na correnteza do rio. À noite, Zeca tira a mãe do carro e a enterra numa praia em lamada e vai embora daquela cidade só trouxe desgraças para sua vida, totalmente ensanguentado e cheio de lama, pega um trem clandestino até Uberlândia. E a vida continua... talvez.



12 anos se passam... o que irá acontecer? Só na parte 2 mesmo porque estou muito exausto pra fazer frases filosóficas usando labirinto e água.
avatar
J
Admin

Mensagens : 15
Data de inscrição : 14/01/2016

Ver perfil do usuário http://gmonstuosos.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum