DUAS VISÕES - Raphael Paranhos

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

DUAS VISÕES - Raphael Paranhos

Mensagem por Rapha em Qua Jul 13, 2016 9:00 pm

A trama começa numa cena de pura melancolia no enterro da mãe de Raphael e Nicolas, que já eram orfãos de pai.
Nicolas forçava para não chorar, e ao chegar em casa, é questionado pelo irmão, que alegava que Nicolas não precisava forçar, o melhor era chorar. Nicolas rebate dizendo aquilo de homem não chora. Nicolas é machista.
Raphael anda pela cidade pensando nos pais, refletindo sobre tudo e todos.
Nicolas lê sobre Inês, mulher que herdou toda a riqueza do marido, e é a vítima de seu golpe divisor de águas para Nicolas.
Raphael entra em um bordel, encontrando João Augusto, boêmio muito amigo do protagonista, e tem um rápido diálogo com ele. Logo, ele paga Maria Alice. Os dois fazem a borboleta paraguaia de forma épica.
Após isso, Maria faz show de pole dance para Raphael. Suas curvas e sua pele vibrante enchiam os olhos de Rapha, que levanta, pega pela sua coxa, e apuxa se volta para a cama. Maria Alice puxa o rosto de Raphael e morde seu queixo, Raphael comprime seus peitos fortemente. Raphael, após isso, a paga e antes de ir embora, é abordado por Maria.
-Adeus, Raphael. Não demore muito para voltar, meu prazer aclama pela sua pessoa...
-Maria, eu sempre volto. Sou cliente fiél faz quantos anos?
-Muitos! - diz ela
-Então pronto!
-É, tantos anos que eu espero que o senhor me tire daqui e me faça uma mulher de verdade, uma mulher da sociedade!
-Maria Alice...
-Vai dizer a mesma coisa de sempre, num é mesmo? Tem razão, eu sou burra, nojenta, vadia, vulgar, puta, LUXURIOSA, BAIXA E VENDIDA DEMAIS PARA UM HOMEM IGUAL O SENHOR!!!
-EU NÃO GOSTO QUE GRITEM COMIGO! NÃO GOSTO! Enfim, é algo um tanto complicado, entendes? Nossa relação precisa ser algo mais aberto, um relacionamento mais liberto, sem qualquer espécie de compromisso. Caso contrário, deduzo que vá a dar errado...
-Não vai dar errado, juro por Deus! Sou vadia, mas sou versátil. Sei me adequar aos padrões sociais de uma bela dama.
-Nem sou tão rico assim. Não mesmo! Me despeço aqui, trate de tirar essa ideia de sua cabeça...
-Você volta aqui, AGORA! RAPHAEL!
-Não quero saber...
-FILHO DA PUTA!
Maria Alice quebra um vaso dentro do quarto.
Maitê aparece saindo do bordel, do qual ela era dona. Ela visita Nicolas, seu parceiro sexual. Eles têm um dialogo sensual, e logo transam, mas ligeiramente Nicolas desfaz o momento e alega:
-Maitê, eu lhe sinto muito. Eu mais que gostei dos nossos momentos, foram bem intensos e radiantes como sua beleza. Mas eu não preciso de você, essa é a verdade.
-Não estou te entendendo.
-O que eu quero dizer, é que você não soma nada em minha vida, o que preciso neste momento é dinheiro, preciso ascender. Tenho essa necessidade.
-Nicolas, não sou um objeto. Eu sou uma pessoa! Não sou descartável! Eu me vendi muito nesta vida, mas não sou só corpo, sou alma também, com sentimentos!
-Não seja difícil, é só compreender-me e pronto. Se quiser podemos ser amantes, não precisamos romper...
-Não quero ser amante, quero ser sua legítima! Quero ser sua esposa!
Maitê observa uma reportagem recortada de um jornal sobre Inês Constantine, a milionária alvo de Nicolas.
-Ah... Agora eu entendi absolutamente tudo! Agora sei por quê quer me abandonar desta forma, quer dar o golpe, simples assim. Eu me sinto muito tonta, sempre achei o senhor sujo, mas nunca me importei!
Os dois discutem, e Maitê vai embora.
Raphael chega em casa, Nicolas se arrumava para o baile de alta sociedade organizado por Inês.
Ele não deve explicações a Raphael e vai. Infiltrado, ele seduz a ricaça. Os dois acabam na cama. Nicolas mente ser rico.
Raphael vai ao bordel transar com Maria Alice, mas ela recusa-se fazer sexo com o protagonista e aceita o pagamento de João Augusto. Raphael fica com sangue nos olhos, e é expulso por Maitê do bordel após dar um ataque.
Maria Alice e Rapha discutem na porta do bordel, onde Rapha aguardava. João sai em seguida. Maria Alice vai para cima dele para provocar. Raphael e João brigam feio. Maria Alice vai separar os marmanjos e acaba atingida por João.
Raphael aproveita a oportunidade para convencer Maria que ele é melhor. Maria finge que cai e vê seu plano dando certo.
Nicolas e Inês se reencontram. Maitê havia seguido Nicolas ao encontro, pois ia para sua casa e viu sua saída.
Inês e Nicolas transam. Maitê assiste a ceninha dos dois e interrompe brutalmente, armando um barraco.
Maitê revela a realidade de Nicolas, mas naquela altura já havia uma paixão por parte de Inês, por isso ela nem ligou.
Maria Alice faz sexo oral com Raphael.
Maitê conta tudo para Raphael, que discute com o irmão.
Nicolas dorme fora de casa, expulso por Raphael, e providencia uma moradia nova com a dinherama de Ines.
Raphael pensa melhor, e decide se desculpar com o irmão, mas por interesse. Queria embarcar na riqueza dele. Maria Alice adora a ideia.
Raphael chantageia Nicolas para ele o bancar, ameaçando denunciar o golpe dele.
Nicolas financia o noivado de Maria Alice e Raphael.
Maitê tenta transar com Nicolas, que a agride. Maitê declara vingança, pega uma arma e tenta atirar em Nicolas. Inês entra no quarto na hora e a impede. Maitê leva um tiro na barriga.
João Augusto se envolve com Maria Alice novamente, escondidos de Raphael.
Maria Alice recebe uma declaração de Raphael, apaixonado. Ela se comove.
Ao deitar-se, Inês pensa com ódio em Maitê.
Maitê conseguiu socorro, mas não denunciou ninguém, pois sabia que iria ser menos vantajoso, ela queria se vingar com as próprias mãos.
Maria Alice transa com João pensando em Raphael.
Chega o noivado de Rapha e Maria.
Maitê penetra na festa, e Inês a encontra. As duas brigam em particular. Inês estapeia Maitê e a rebaixa cruelmente.
Inês se olha no espelho, vê uma pessoa má e cruel, mas acha que em vez disso, é alguém corajosa e defensora de seu patrimonio.
Maria Alice diz para Raphael que realmente o ama, e não estava mentindo. Não era mais interesse. Os dois transam na banheira.
Nicolas vê Maria Alice e João se encontrando. Ele provoca Rapha com isso, e ele fica irritado. Raphael se controla.
Maitê invade a casa de Inês e a estrupa, provando que não estava mentindo quando disse que ia se vingar com as próprias mãos.
Nicolas acaba vendo a cena de estrupo, e se choca pelo fato de serem duas mulheres na relação, um tabu na época. Ele infarta, e no hospital descobre que tem o mesmo problema que matou sua mãe.
Raphael, que estava bem mal com o irmão, acaba sensibilizado e sofre por Nicolas.
Maite assombra Nicolas no hospital. João Augusto pede perdão para Raphael. Tudo para facilitar o acesso a Maria Alice. Raphael aceita o perdão.
Nicolas sai do hospital e fica sabendo desse pedido, e mais uma vez alerta o irmão do perigo, mas leva um murro na cara.
Nicolas vai tirar satisfações com Maitê, a tenta espancar mas ela o aprisiona em seu quarto no bordel sem ninguém saber. Lá, ela fica submissa a ele, doentiamente.
Ela pôs um avental, foi até o quarto com uma bandeja, paparica ele, o serve, o beija. ele estava amarrado. Ela tira a roupa e começa a trepar em cima dele na cadeira. Ele, amordaçado, estava desesperado.
Raphael sente em João Augusto o cheiro de Maria Alice, e lembra dos alertas de Nicolas. Começa-se a providenciar o casamento de Mariel, e o sumiço de Nicolas abala os personagens da trama.
Uma prostituta encontra sua patroa dormindo nua no colo de Nicolas, e grita.
Maitê é acusada de sequestro, e se torna foragida.
Nicolas e Inês arquitetam sua vingança.
Inês vai com Maria Alice na provação so vestido da ex-prostituta.
Maria Alice dá um fora em João Augusto. Este, não desiste fácil assim.
No dia do casamento Mariel, Raphael casava desconfortável com a suspeita da traiçã de Maria Alice, que também tinha remorsos.
João Augusto estrupa Maria, e a força a manter relações sexuais com ele.
Inês se olha no espelho e ri imaginando a morte de Maitê.
Nicolas vê a loucura de Inês e fica no dilema: fico com ela por dinheiro ou largo pela falta de sanidade mental? Ele infarta novamente, mas sai do hospital no mesmo dia.
Raphael começa a ficar nervoso e chora com a possibilidade de ter sido traído pela amada. Nessa altura da trama, todos estão com estresse e enlouquecidos.
João e Maria transam.
Maria transa sem vontade de viver e com cara de ódio. Inês põe fogo no bordel de Maitê. Maitê a espanca.
Raphael é irônico com João Augusto, mandando várias indiretas para ele.
No dia seguinte, João e Maria foram transar e Raphael, que havia fingido que saía para visitar Nicolas, retornou. Ele foi andando bem lentamente até o quarto, e fez o flagra. Ele dá um discurso de ódio aos dois. Depois corre atrás de João pela casa e o espanca. João escapa, mas Rapha pega uma arma e o dá um tiro. Maria Alice corre para ver, e entra em desespero.
-RAPHAEL, NÃO!
-VOCÊ TRATE DE CALAR ESSA SUA BOCA, SUA VADIA! Lembra de quando eu disse que um relacionamento aberto e liberto seria melhor para nós? Eu estava muito correto. Fomos nos casar, e olha o resultado.
-Eu não queria, Rapha...
-VAI À MERDA! Vai à merda, e leve seus trastes juntos contigo, não aguento nem mais olhar para essa tua cara...
Maria Alice socorre João, mas se arrepende. João continua agredindo ela diariamente.
Inês procura Maitê para a matar, mas Maitê revida com uma facada épica no peito. Inês morre alí.
Raphael vai desabafar com Nicolas, que esfrega na sua cara que estava certo.
-Raphael, eu acho você hipócrita, além de demasiadamente teimoso.
-Eu?!
-Sim, bate no peito dizendo que se acha certo, todo orgulhoso, enquanto eu era ignorado ao lhe alertar. Agora, tú vens até a minha pessoa desabafar, pois o que eu previ que ia acontecer, aconteceu. Hipocrisia tem nome e se chama Raphael.
-Não pode falar nada, meu caro. Não fui eu que dei o golpe em uma moça milionária!
-Não fui eu que chantagiei meu próprio irmão por dinheiro! Acho que estamos empatados, não?
-Não empato com ratos imundos!
-Disse a peste da família! Não tente se sobrepor a Nicolas Rigoni de Oliveira, irá se arrepender!
-Fala assim, pensando que é o corretíssimo, a vossa excelência! Não é assim que funciona! Eu deduro o seu golpe para Inês Constantine, e eu vou estar rindo da sua lenta e sofrida morte, quando estiver pobre e sem rumo! Rirei! Muito!
-EU VOU ACABAR COM VOCÊ!
-ENTÃO VEM! ENCOSTA EM MIM, ESTOU ORDENANDO!
Os dois duelam fortemente e quando Nicolas estava ganhando, ele infarta novamente. Raphael se desespera, o irmão estava morrendo em seus braços.
-Nicolas, pelo amor de Deus, não! Se queria ver se eu riria mesmo, está enganado! Foi em um ato de impulsividade! NICOLAS!
-Me largue, vá viver! Não quero ver o meu irmão afundado na lama por minha causa, Raphael...
Nicolas morre.
A riqueza de Inês vai para uma prima distante, sua única parente viva.
Desfechos: Após o enterro de Nicolas, Maitê vive em depressão profunda após a morte do amado. Maria Alice vive de ser escrava sexual do maníaco João Augusto. Raphael acaba pobre e infeliz, com remorsos de ser causador da morte da pessoa mais importante de sua vida. São marcas que nunca vão embora.

Rapha

Mensagens : 15
Data de inscrição : 05/02/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum